A vida campesina do alto sertão de Sergipe (Brasil)

Lucas Antônio Ribeiro Cardoso, Larissa Katarina Mendonça, Paulo Lucas Cândido de Farias, Áurea Nascimento de Siqueira Mesquita, Any Graziella de Sena

Resumo


O presente trabalho traz ao debate vivências ocorridas em comunidades campesinas situadas no sertão do estado de Sergipe, nordeste brasileiro. Esta pesquisa surge como produto final de aulas de campo, tidas como elementares a formação do geógrafo e do professor de Geografia, realizadas nos municípios de Canindé de São Francisco, Poço Redondo e Porto da Folha entre dos dias 14 e 17 de junho de 2016. A partir da questão indutora: Como vive o povo campesino das comunidades do alto sertão sergipano? E possuindo como objetivo geral: Conhecer as principais atividades e experiências do povo campesino no alto sertão sergipano. O acesso a esses dados foi possível a partir da inserção na realidade campesina e das vivências obtidas com esse povo, no decorrer de suas atividades diárias.Assim, pudemos atrelar os estudos teóricos produzidos sobre esse povo, e seus costumes, com a realidade vivenciada durante o período em que realizamos as atividades. Como também as questões relacionadas ao trabalho e forma da estrutura campesina.


Palavras-chave


Povo campesino; Estudos; Geografia Agrária;

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


CARVALHO, H. M. de; CHAYANOV, Alexander. (orgs.) Chayanov e o Campesinato. 1. ed.São Paulo: Expresso Popular, 2014.

GRAZIANO DA SILVA, J.. O Novo Rural Brasileiro. 2. ed. Campinas: UNICAMP, 1999.

KAUTSKY, K. 1854-1938. A Questão Agrária. Tradução de Otto Ercih Walter Maas. São Paulo: Nova Cultural, 1986.

KAISER, B. O Geógrafo e a Pesquisa de Campo. Original de 1977. Republicado em TRABALHO DE CAMPO –Boletim Paulista de Geografia n. 84. São Paulo: AGB –Associação dos Geógrafos Brasileiros. Irregular. 2006. ISSN 0006-6079.

LACOSTE, Y. A Pesquisa e o trabalho de campo: um problema político para os pesquisadores, estudantes e cidadãos. Original de 1977. Republicado em TRABALHO DE CAMPO –Boletim Paulista de Geografia nu. 84. São Paulo: AGB –Associação dos Geógrafos Brasileiros. Irregular. 2006. ISSN 0006-6079.

LUDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza Damasio Afonso de. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 26. ed. Petrópolis: Vozes, 2016.

PONTUSCHKA, Nídia Nacib. Estudo do meio e ação pedagógica. In: XIV Encontro Nacional de Geógrafos. Acre. 2006.

OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino de. Geografia Agrária: perspectivas no início do século XXI. In________: OLIVEIRA, Ariovaldo. U. e MARQUEZ, Marta. I. M. (Orgs). O Campo no Século XXI Território de Vida, de Luta e de Construção da Justiça Social.. São Paulo: Editora Casa Amarela e Paz e Terra, 2003. p.71-85

OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino. Modo de Produção Capitalista, Agricultura e Reforma Agrária. São Paulo: Labur Edições, 2007,

TAVARES, José Vicente dos Santos. Colonos do vinho. São Paulo, Hucitec, 1979.

THOMAZ JÚNIOR, Antonio. Reestruturação Produtiva do Capital no Campo, no Século XXI, e os desafios para o Trabalho. Revista Pegada Eletrônica. v.3, nº 1 e 2, Santiago de Compostela, outubro de 2004. Disponível em < http://www.cerai.es/fmra/archivo/thomaz_junior>.pdf. Acesso 08 de janeiro de 2018


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Lucas Antônio Ribeiro Cardoso, Larissa Katarina Mendonça, Paulo Lucas Cândido de Farias, Áurea Nascimento de Siqueira Mesquita, Any Graziella de Sena

ISSN: 2595-4431

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn