Análise parasitológica em hortaliças comercializadas em feiras e supermercados no município de Redenção (Pará)

Letícia Kalline da Paz Martins, Gilmar Wanzeller Siqueira, Paulo Henrique Dias Silva

Resumo


R E S U M O

As doenças parasitárias são um problema de saúde pública. As hortaliças podem ser um importante meio de disseminação de parasitos, visto que elas podem ser contaminadas em diversas etapas do processo produtivo até a comercialização. Assim o objetivo desse trabalho foi analisar a presença de parasitos em hortaliças comercializadas em feiras e supermercados do município de Redenção no estado do Pará. Foram analisadas 80 amostras de hortaliças, sendo 20 de alface (Lactuca sativa), 20 de rúcula (Eruca sativa), 20 de cebolinha (Allium schoenoprasum) e 20 de coentro (Coriandrum sativum), comercializadas e coletadas em duas feiras e dois supermercados da cidade de Redenção. Como procedimento metodológico foi realizado uma análise parasitológica pelo método de Hoffman, Pons e Janer e os parasitas foram observados em microscopia óptica nas objetivas de 10x e 40x. Das hortaliças examinadas 88,75% (n=71) apresentaram formas parasitárias, sendo que a rúcula foi a hortaliça de maior contaminação e a cebolinha a de menor contaminação. Os parasitos encontrados nessa análise foram o Balantidium coli e o Ancilostomídeo e também foram identificados protozoários e larvas de vida livre. Observou-se um elevado percentual de contaminação parasitária, sendo esses parasitas capazes de ocasionar diversos prejuízos ao organismo humano. É de grande importância a inserção de hortaliças na alimentação, visto que essas são ricas em vitaminas, minerais e fibras, mas ressalta-se a importância desse consumo sendo realizada a lavagem correta desses alimentos com água corrente e cloro, para que sejam evitados o risco de transmissão de parasitos.

 

Palavras-Chave: Contaminação; Parasitos; Hortaliças; Alimentação


Palavras-chave


Contaminação; Parasitos; Hortaliças; Alimentação.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


Alves, A. S., Neto, A. C., & Rossignoli, P. A. (2013). Parasitos em alface-crespa (Lactuca sativa L.), de plantio convencional, comercializada em supermercados de Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. Revista de Patologia Tropical, 42, 217-229.

Arbos, K. A., Freitas, R. J. S., Stertz, S. C., & Carvalho, L. A. (2010). Segurança alimentar de hortaliças orgânicas: aspectos sanitários e nutricionais. Ciência Tecnologia de Alimentos, 30 (1).

Barbosa, A. S. (2015). Estudo de Balantidium sp.(Claparède e Lachmann, 1858) isolados de suínos, primatas não humanos cativos e humanos no Estado Rio do Janeiro, Brasil. Tese de doutorado, Instituto Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Bonatti, T. R. (2016). Caracterização molecular das espécies de Giardia spp. e Cryptosporidium spp. e levantamento das espécies de protozoários de vida livre presentes em amostras de água superficial e do sedimento do Rio Atibaia, Campinas, São Paulo. Tese de Doutorado, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, Brasil.

BRASIL. Resolução - CNNPA nº 13, de 15 de julho de 1977. Disponível em: . Acessado em: 11 de setembro de 2020.

BRASIL. (2008). Ministério Da Saúde. Guia Alimentar para a População Brasileira: Promovendo a Alimentação Saudável. (1a ed.). Brasília – DF. Disponível em: . Acesso em 11 de setembro de 2020.

BRASIL. (2014). Guia Alimentar para a População Brasileira. (2a ed.) Brasília – DF. Disponível em: . Acesso em: 10 de setembro de 2020.

BRASIL. (2019). Guia de Vigilância em Saúde: volume único. (3a. ed.). Brasília – DF. Disponível em: . Acesso em 15 de junho de 2020.

Ceconi, D. P., Chielle, E. O., & Vidigal, T. M. A. (2019). Prevalência de enteroparasitoses em amostras de agrião comercializadas no extremo-oeste de Santa Catarina. Unoesc & Ciência-ACBS, 10 (1), 85-92.

Coelho, L. M. P. S., Oliveira, S. M., Milman, M. H. S. A., Karasawa, K. A., & Santos, R. P. (2001). Detecção de formas transmissíveis de enteroparasitas na água e nas hortaliças consumidas em comunidades escolares de Sorocaba, São Paulo, Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 34 (5), 479-482.

De-Carli, B. P., Doval, J. C. L., Rodrigues, E. H. C., & Pompêo, M. L. M. (2017). Variação espacial e sazonal do zooplâncton nos reservatórios do Sistema Cantareira, Brasil. Revista Ambiente & Água, 12 (4), 666-679.

EMBRAPA – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (2012). Hortaliças em revista: cores e sabores, a importância nutricional das hortaliças. Gama – DF. Disponível em: . Acesso em: 10 de setembro de 2020.

Esteves, F. A. M., & Figueirôa, E. O. (2009). Detecção de enteroparasitas em hortaliças comercializadas em feiras Livres do município de Caruaru PE. Revista Baiana de Saúde Pública, 33 (2), 184-93.

Falavigna, L. M., Freitas, C. B. R. F., Melo, G. C., Nishi, L., Araujo, S. M., & Falavigna-Guilherme, A. L. (2005). Qualidade de hortaliças comercializadas no noroeste do Paraná, Brasil. Parasitología latino-americana, 60, 144-149.

Ferreira, A. P., Horta, M. A. P., & Pereira, C. R. A. (2013). Qualidade higiênico-sanitária das águas de irrigação de estabelecimentos produtores de hortaliças no município de Teresópolis, RJ. Revista Uniandrade, 13(1), 15-29.

Hanning, I. B., Nutt, J. D., & Ricke, S. C. (2009). Salmonellosis outbreaks in the United States due to fresh produce: sources and potential intervention measures. Foodborne Pathogens and Disease, 6 (6), 635-648.

Hoffman, W. A., Pons, J. A., & Janer, J. L. (1934).The Sedimentation concentration method in schistosomiasis mansoni. Porto Rico Journal of Public Health Tropical and Medicine, 283-291.

Lobato Júnior, W. S. (2013). Protozoários de vida livre em dois trechos da bacia hidrográfica do Rio Pirangi (RN): relações com a educação em ciências e preservação. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN, Brasil.

Luz, J. G. G., Barbosa, M. V., Carvalho, A. G., Resende, S. D., Dias, J. V. L., & Martins, H. R. (2017). Contamination by intestinal parasites in vegetables marketed in an area of Jequitinhonha Valley, Minas Gerais, Brazil. Revista de Nutrição, 30 (1), 127-136.

Maciel, D. F., Gurgel-Gonçalves, R., & Machado, E. R. (2014). Ocorrência de parasitos intestinais em hortaliças comercializadas em feiras no Distrito Federal, Brasil. Revista de Patologia Tropical, 43 (3), 351-359.

Melo, A. C. F. L., Furtado, L. F. V., Ferro, T. C., Bezerra, K.C., Costa, D. C. A., Costa, L. A., & Silva, L. R. S. (2011). Contaminação parasitária de alfaces e sua relação com enteroparasitoses em manipuladores de alimentos. Revista Trópica, 5 (3), 47-52.

Moreira, I. S., Sousa, F. C., Santos, F. M., Feitosa, M. K. D. S. B., & Marques, L. F. (2013). Eficiência de soluções antimicrobiana na desinfecção de alface tipo crespa comercializada em feira livre. Revista Verde de agroecologia e desenvolvimento sustentável, 8 (2), 171-177.

Moreira, R. A., Mansano, A. S., & Rocha, O. (2016). Taxas de filtração e ingestão de uma microalga por Philodina roseola (Rotifera: Bdelloidea). Acta Biológica Colombiana, 21 (2), 325-333.

Nascimento, A. B., Oliveira, S. R. M., Chaves, E. C. R., Lima, S. B. A., Aarão T. L. S., & Mendonça, M. H. R. (2020). Análises parasitológicas de hortaliças comercializadas na feira livre do Ver-o-Peso, Belém–PA. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 41, 1-11.

Neres, A. C., Nascimento, A. H., Lemos, K. R. M., Ribeiro, E. L., Leitão, V. O., Pacheco, J. B. P., Diniz, D. O., Aversi-Ferreira, R. A. G. M. F., & Aversi-Ferreira, T. L. (2011). Enteroparasitos em amostras de Alface (Lactuca sativa var.crispa), no município de Anápolis, Goiás, Brasil. Bioscience Journal, 27 (2), 336-341.

Nomura, P. R., Ferreira, A. R. M., Rafaelli, R. A., Augusto, J. G., Tatakihara, V. L. H., Custódio, L. A., & Murad, V. A. (2015). Estudo da incidência de parasitas intestinais em verduras comercializadas em feira livre e supermercado de Londrina. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde, 36 (1), 209-214.

Oliveira, D. M., Novaes, B. C. B., Lucena, V. B., Souza, T. S., Barros, N. C. L., Dias, S. S., Silva, D. L., & Correa, R.S. (2016). Perfil parasitológico do cheiro verde comercializado em feiras livres de Imperatriz-MA. Biota Amazônia, 6 (2), 123-126.

Oliveira, E. K. S, Gomes, J. G. F., Silva Jr, H. P., Silva, A. C., Oliveira, D. K. S., & Oliveira, G. A. L. (2020). Análise parasitológica de hortaliças comercializadas em supermercados e em uma feira livre de Piripiri - Piauí, Brasil. Research, Society and Development, 9 (7), 1-12.

Pereira, C., & Silva, M. C. (2014). Fatores de risco das enteroparasitoses de escolares públicos da Bahia. Saúde.com, 10 (3), 45-253.

Quadros, R. M, Marques, S. M. T., Favaro, D. A., Pessoa, V. B., Arruda, A. A. R., & Santini, J. (2008). Parasitos em alfaces (Lactuca sativa) de mercados e feiras livres de Lages - Santa Catarina. Ver. Ciência & Saúde, 1 (2), 78-84.

Rey, L. (2001). Um século de experiência no controle da ancilostomíase. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 34 (1), 61-67.

Sá, D. P., Gomes, J. S., & Maia, J. T. L. S. (2019).Parasitas em hortaliças folhosas comercializadas em Montes Claros (MG). Scientia Agraria Paranaensis, 1 (1), 303-307.

Schuster, F. L., & Ramirez-Avila, L. (2008). Current world status of Balantidium coli. Clinical Microbiology Reviews, 21 (4), 626-638.

Siqueira, G. W., Braga, E. S., Mahíques, M. M., & Aprile, F. M. (2006). Determinação da matéria orgânica e razões C/N e C/S em sedimentos de fundo do estuário de Santos- SP/ Brasil. Arquivos de Ciências do Mar-Fortaleza, 39, 18–27.

Silva, A.S., Silva, I. M. M., Rebouças, L. T., Almeida, J. S., Rocha, E. V. S., & Amor, A. L. M. (2016). Análise parasitológica e microbiológica de hortaliças comercializadas no município de Santo Antônio de Jesus, Bahia (Brasil). Vigilância Sanitária em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, 4 (3), 77-85.

Silva, L. M. B., Silva, L. G. B., Melanda, G. C. S., & Ferreira, R. J. (2018). Hortaliças orgânicas: alimentos saudáveis ou um risco à saúde? Ciências Biológicas e da Saúde, 39 (2), 119-128.

Simoes, M., Pisani, B., Marques, E. G. L., Prandi, M. A. G., Martini, M. H., Chiarini, P. F. T., Antunes, J. L. F., & Nogueira, A. P. (2001). Hygienic-sanitary conditions of vegetables and irrigation water from kitchen gardens in the municipality of Campinas, SP. Brazilian. Journal of Microbiology, 32 (4), 331-333.

Soares, B, & Cantos, G. A. (2005). Qualidade parasitológica e condições higiênico-sanitárias de hortaliças comercializadas na cidade de Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, 8 (4), 377-384.

Soares, B., & Cantos, G. A. (2006). Detecção de estruturas parasitárias em hortaliças comercializadas na cidade de Florianópolis, SC, Brasil. Revista Brasileira de Ciências Farmacêutica, 42 (3), 455-460.

Vieira, J. N., Pereira, C. P., Bastos, C. G. G., Nagel, A. S., Antunes, L., & Villela, M. M. (2013). Parasitos em hortaliças comercializadas no sul do Rio Grande do Sul, Brasil. Revista de Ciências Médicas e Biológicas, 12 (1), 45-49.

WHO – World Health Organization (2003). Fruit and Vegetable Promotion Initiative: a meeting report. Disponível em: . Acesso em: 10 de setembro de 2020.

WHO – Word Health Organization (2020). Soil-transmitted helminth infections. Disponível em: . Acesso em 10 de Setembro de 2020.

WHO – Word Health Organization (2020). Soil-transmitted helminthiases. Disponível em: . Acesso em: 11 de setembro de 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Gilmar Wanzeller Siqueira, Paulo Henrique Dias Silva

ISSN: 2595-4431

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn