Degradação socioespacial: análise dos impactos provocados pela construção do complexo hidroelétrico de Paulo Afonso

José Gustavo da Silva Melo, Josimar Vieira dos Reis, Jadson Freire da Silva, Elisabeth Regina Alves Cavalcanti Silva

Resumo


Analisar a relação socioespacial provocada pelo complexo hidroelétrico de Paulo Afonso, por meio das consequências originadas pela construção do empreendimento energético. As hidrelétricas no Brasil tem representado, para o desenvolvimento industrial do país, uma força motriz. A área territorial de Paulo Afonso, pertence à microrregião homogênea 147, Sertão de Paulo Afonso, ocupa uma área territorial de 1.545,192 km². A problemática abordada nessa pesquisa tem sua relevância ligada à necessidade de evidenciar o caráter complexo dos fatores que explicam as relações socioespaciais. As estratégias de pesquisa, em termos de aplicabilidade, são classificadas como: abordagem qualitativa, já que se utiliza de uma disposição bastante ampla. Como resultados observa-se que o complexo hidroelétrico de Paulo Afonso formado provocou mudança da paisagem urbana, nesse caso, nas representações sociais que as pessoas fizeram da nova cidade. Também foram atingidos os valores culturais, mudando os significados e o valor afetivo que reassentados faziam de seu espaço, de suas tradições, hábitos e costumes. Por fim, se conclui que o aproveitamento do potencial hidrelétrico do São Francisco representou para a sociedade nordestina, um processo de introdução de um modelo de indução de desenvolvimento muito difundido a época.


Palavras-chave


Impactos sociais, Desenvolvimento regional, Herança histórica.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


ANDRADE, M. C. de. Tradição e Mudança. A organização do Espaço rural e urbano na área de irrigação do sub-médio São Francisco. Rio de janeiro: Zahar, 1993. p. 27-28.

___________________, Agência Nacional de Energia Elétrica. Atlas de energia elétrica do Brasil. 2. Ed. – Brasília: ANEEL 2005.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 229p. 2011.

BATISTA, E. Nós Fizemos Paulo Afonso. Paulo Afonso, 1999.

BAPTISTA, S. G.; CUNHA, M. B. da. Estudo de usuários: visão global dos métodos de coleta de dados. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 12, n. 2, p. 168- 184, maio/ago. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pci/v12n2/v12n2a11.pdf. Acesso em: 01 de outubro de 2017.

CASTRO, I. E. de. O Mito da Necessidade: Discurso e prática do regionalismo Nordestino. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1992.

CHESF. COMPLEXO HIDROELÉTRICO DE PAULO AFONSO, BAHIA. https://www.chesf.gov.br/SistemaChesf/Pages/SistemaGeracao/ComplexoPauloAfonso.aspx. Acessado em 05 de novembro de 2017.

CME; CENTRO DE MEMÓRIA DA ELETRICIDADE. 50 ANOS CHESF - 1948/1998, Rio de Janeiro: 1998.

_______. Memória da eletricidade - Rio de Janeiro: FGV, 1993.

CODEVASF. Almanaque – Vale do São Francisco. 1a ed. Brasília, 2001.

COSTA, A. Metodologia científica. Mafra: Nosde, 2006.

FACHIN, O. Fundamentos de metodologia. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

FOLHA SERTANEJA. A energia de Paulo Afonso muda a história do Nordeste há 60 anos. Notícias_21866407. Paulo Afonso/BA. Folha Sertaneja online. 9p. 2015. Disponível em: http://www.folhasertaneja.com.br/noticia/21866407/especiais/a-energia-de-paulo-afonso-muda-a-historia-do-nordeste-ha-60-anos/?indice=10. Acesso em: 19/01/2018.

FONSECA, R. C. Como elaborar projetos de pesquisa e monografias – Guia Prático. Curitiba: Imprensa Oficial, 2007.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2009.

IULIANELLI, J. A. S. Análise (curta) dos confrontos (recentes) do pólo sindical do Sub-Médio São Francisco : quando o inimigo é difuso e criminoso. Cadernos do CEAS, Salvador, n. 185, p. 37-56, jan.-fev. 2000.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Metodologia científica. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MENDONÇA, L. L. de; BRITO, M. E.. (coord.) Caminhos da modernização: cronologia da energia elétrica no Brasil (1878-2007). Rio de Janeiro: Centro da Memória da Eletricidade no Brasil (1979-2007), 2007.

MENEZES, A. C. S.; ROCHA, F. (Orgs.). A Resistência à Transposição do Rio São Francisco na Paraíba Historias de Luta em Defesa da Terra, das Águas e dos Povos do Nordeste. João Pessoa: Sal da Terra, 2010. 76 p.

NOBREGA, R. S. Os Atingidos por Barragem: refugiados de uma guerra desconhecida. Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana. Brasília, n. 36, p. 125-143, jan./jun. 2011.

OLIVEIRA, E. A. F. de. Nos Trilhos da História de Piranhas: um ensaio sobre a Estrada de Ferro Paulo Afonso. In: SÁ, Antônio Fernando de Araújo; BRASIL, Vanessa Maria (Orgs.). Rio Sem História? Leituras sobre o Rio São Francisco. Aracaju: Fapese, 2005. p. 221-239.

PEREIRA, M. da C. M.. “História Local e Regional- singularidades de uma história plural”. In: FARIAS, Sara Oliveira; LEAL, Maria das Graças de Andrade (Orgs). História Regional e Local II: o plural e o singular em debate. Salvador, EDUNEB, 2012.

PESAVENTO, S. J. Cidades visíveis, cidades sensíveis, cidades imaginárias. Revista Brasileira de História, vol. 27, n° 53, junho de 2007.

RAFFESTIN, C. Por uma Geografia do Poder. França. São Paulo: Ática, 1993.

RAUEN, F. J. Roteiros de investigação científica. Tubarão: Unisul, 2002.

REIS, R. R. do A. PAULO AFONSO E O SERTÃO BAIANO: SUA GEOGRAFIA E SEU POVO. 1 ed. Paulo Afonso-BA: Fonte Viva, 2004.

SÁ, A. F. de A.; BRASIL, V. M. (Orgs.). Rio Sem História? Leituras sobre o Rio São Francisco. Aracaju: Fapese, 2005.

SANTIN, J. R.; FLORES, D. H. A evolução histórica do município no federalismo brasileiro, o poder local e o estatuto da cidade. Revista Justiça do Direito, Passo Fundo, v. 20 nº, 2006.

SANTOS, R. G. dos. Impactos socioambientais à margem do Rio São Francisco: um estudo de caso. 2008. 193 f. Dissertação de Mestrado – Dpgeo/Fflch-USP, São Paulo, 2008.

SANTOS, S. Lamento e dor: Uma análise sócio-antropológica do deslocamento compulsório provocado pela construção de barragens. 2007. 279f. Dissertação (Doutorado em Ciências Sociais) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Pará, Belém, 2007.

SANTOS. A. M. Política Urbana: a importância de focalizar as cidades médias. Revista de Direito da Cidade, Rio de Janeiro, v.05, n. 02, 153- 177. 2010.

SOUZA, E. B. C A Geopolítica da produção do Espaço: localização da hidrelétrica da Itaipu Binacional. Revista Geografares, n.9, p.141-167, jul./Dez., 2011.

SOUZA, É. J. C. de. Políticas territoriais do Estado da Bahia: regionalização e planejamento. Dissertação (Mestrado em Geografia). Salvador: UFBA, 2008.

SOUZA, A. J. A. de. A Energia de Paulo Afonso e o Nordeste. Recife: Gráfica e Editora do Recife S/A, 1955. 42 p.

TEIXEIRA, C. História da Energia na Bahia. Salvador: EPP Publicações e Publicidade, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 José Gustavo da Silva Melo, Josimar Vieira dos Reis, Jadson Freire da Silva, Elisabeth Regina Alves Cavalcanti Silva

ISSN: 2595-4431

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn