Espaçamento entrelinhas de semeadura e produtividade da cultura do milho irrigado por aspersão

Alex Becker Monteiro, Cristiane Mariliz Stöcker

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da redução do espaçamento de semeadura de 0,90 para 0,45 m entrelinhas sobre o desenvolvimento e os componentes de rendimento da cultura do milho irrigado por aspersão convencional. O estudo foi conduzido em uma área experimental do Instituto Federal Farroupilha - Campus São Vicente do Sul, Rio Grande do Sul. Foram utilizados quatros híbridos de milho (AS1572PRO, 30F53H, 32R22 e 30A77HR) em dois espaçamentos entrelinhas (0,45 e 0,90 m) sob sistema plantio direto com densidade de 72.000 e 60.000 mil sementes ha-1. Adotou-se o delineamento experimental em faixas. A irrigação foi manejada baseada na reposição da evapotranspiração potencial da cultura, com o auxílio do tanque classe A. Foram avaliadas as seguintes variáveis: altura média das plantas, índice de área foliar, produtividade, peso de 1000 grãos, tamanho médio de espigas, número de fileiras por espiga e população final de plantas. A redução do espaçamento entrelinhas e o aumento da população de plantas aumenta a altura de plantas e o índice de área foliar de três dos quatro híbridos avaliados. O híbrido AS1572PRO apresentou redução no número de fileiras por espigas e aumento do peso de 1000 grãos quando o espaçamento entrelinhas foi reduzido de 0,90 m para 0,45 m, enquanto os híbridos 30F53H, 32R22 e 30A77HR não sofreram influência significativa. O tamanho de espigas e a produtividade não foram afetados pela redução do espaçamento entrelinhas e pelo incremento da população de plantas nos quatro híbridos avaliados.


Palavras-chave


Zea mays (L.), irrigação, arranjo de plantas.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


Albuquerque, A. W., Santos, J. R., Filho, G. M., & Reis, L. S. (2013). Plantas de cobertura e adubação nitrogenada na produção de milho em sistema de plantio direto. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 17(7), 721-726.

Barros, A. C. M., Silveira, J. C. M., figueiredo, G. Á., Ferreira, F. B. (2012). Efeito de Diferentes Espaçamentos e Densidades de Semeadura na Produtividade da Cultura do Milho. I Congresso de Pesquisa e Pós-Graduação do Campus do Rio Verde do IFGoiano. Goiás, GO, 3.

Bergamaschi, H., Matzenauer, R. (2014). O milho e o clima. Porto Alegre: Emater-Ascar, 84 p.

Brachtvogel, E. L. B., Pereira, F. R. S., Cruz, S. C. S., Abreu, M. L. A., Bicudo, S. J. (2012). População, arranjo de plantas uniforme e a competição intraespecífica em milho. Revista Trópica: Ciências Agrárias e Biológicas, 6(1), 75-83.

Calonego, J. C., Poleto, L. C., Domingues, F. N., Tiritan, C. S. (2011). Produtividade e crescimento de milho em diferentes arranjos de plantas. Revista Agrarian, 4(12), 84-90.

CQFS-RS/SC - Comissão de Química e Fertilidade do Solo. (2004). Manual de calagem e adubação para os Estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. (10ª. ed.). Porto Alegre, SBCS - Núcleo Regional Sul/UFRGS, 400p.

CONAB – Companhia Nacional de Abastecimento. Série histórica das safras. Dez 2019. Disponível em: https://www.conab.gov.br/info-agro/safras/serie-historica-das-safras?start=20 Acesso em: 06/01/2020.

Dourado Neto, D., Vieira, P. A., Manfron, P. A., Palhares, M., Medeiros, S. L. P., Romano, M. R. (2003). Efeito da população de plantas e do espaçamento sobre a produtividade de milho. Revista Brasileira de Milho e Sorgo, 2(3), 63-77.

Duarte, J. O., Mattoso, M. J., Garcia, J. C. Economia da produção. 2010. In: Embrapa milho e sorgo. Disponível em: https://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/milho/arvore/CONTAG01_8_168200511157.html. Acesso em: 13/01/ 2020.

Fancelli, A. L., Dourado Neto, D. (2000). Produção de milho. Guaíba: Agropecuária, 360 p.

Farinelli, R., Penariol, F. G., Fornasieri Filho, D. (2012). Características Agronômicas e Produtividade de cultivares de milho em diferentes espaçamentos entre linhas e densidades populacionais. Científica, 40(1), 21-27.

Foloni, J. S. S., Calonego, J. C., Catuchi, T. A., Belleggia, N. A., Tiritan, C. S., Barbosa, A. M. (2015). Cultivares de milho em diferentes populações de plantas com espaçamento reduzido na safrinha. Revista Brasileira de Milho e Sorgo, 13(3), 312-325.

Pereira, A. C., Santos, P. R. dos F., Ujacov, G., Tomazetti, M., Parizi, A. R. C. (2012). Avaliação da produtividade da cultura do milho conduzido sob irrigação por aspersão. Capa. 4(2), 1-8.

Pricinotto, L. F., Zucareli, C., Ferreira, A. S., Spolaor, L. T., Fonseca, I. C. B. (2019). Produtividade e características biométricas do milho submetido a populações de plantas e doses de Trinexapac-ETHYL. Revista Caatinga, 32(3), 667-678.

Repke, R. A., Cruz, S. J. S., Silva, C. J., Figueiredo, P. G., Bicudo, S. J. (2013). Eficiência da Azospirillum brasilense combinada com doses de nitrogênio no desenvolvimento de plantas de milho. Revista Brasileira de Milho e Sorgo, 12(3), 214-226.

Sangoi, L., Silva, P. R. F., Argenta, G., Rambo, L. (2007) Desenvolvimento e exigências climáticas da planta de milho para altos rendimentos. Lages: Graphel, 95 p.

Sangoi, L., Schweitzer, C., Schmitt, A., Pícoli Júnior., G. J., Vargas, V. P., Vieira, J., Siega, E., Carniel, G. (2010). Perfilhamento e prolificidade como características estabilizadoras do rendimento de grãos do milho em diferentes densidades. Revista Brasileira de Milho e Sorgo, 9(3), 254-265.

Sangoi, L., Zanin, C. G., Schmitt, A., Vieira, J. (2013). Senescência foliar e resposta de híbridos de milho liberados comercialmente para cultivo em diferentes épocas ao adensamento. Revista Brasileira de Milho e Sorgo, 12(1), 21-32.

Serpa, M. da S., Silva, P. R. F. da.; Sangoi, L, Vieira, V. M., Marchesi, D. R. (2012). Densidade de plantas em híbridos de milho semeados no final do inverno em ambientes arrigados e de sequeiro. Revista Pesquisa Agropecuária Brasileira, 47(4), 541-549.

Silva, P. R. F. da., SANGOI, L., ARGENTA, G., STRIEDER, M. L. Arranjo de plantas e sua importância na definição da produtividade em milho. Porto Alegre: Evangraf. 2006. 63 p.

Sologuren, L. (2015). Demanda mundial cresce e brasil tem espaço para expandir produção. Revista Visão Agrícola, 13(1), 8-13.

Souza, A. B., Andrade, M. J. B., Muniz, J. A. (2003). Altura de planta e componentes de rendimento do feijoeiro em função da população de plantas, adubação e calagem. Revista Ciência e Agrotecnologia, 27(6), 1205-1213.

Testa, G., Reyneri, A., Blandino, M. (2016). Maize grain yield enhancement through high plant density cultivation with different inter-row and intra-row spacings. European Journal of Agronomy, 72(1), 28-37.

Valderrama, M., Buzetti, S., Benett, C. G. S., Filho, M. C. M. T. (2011). Fontes e doses de NPK em milho irrigado sob plantio direto. Pesquisa Agropecuária Tropical, 41(2), 254-263.

Xu, W., Liu, C., Wang, K., Xie, R., Ming, B., Wang, Y., Zhang, G., Liu, G., Zhao, R., Fan, P., Li, S., Hou, P. (2017). Adjusting maize plant density to different climatic conditions across a large longitudinal distance in China. Field Crops Research, 212(1), 126-134.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Alex Becker Monteiro, Cristiane Mariliz Stöcker

ISSN: 2595-4431

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn