Monitoramento dos aspectos físico-químicos da qualidade da água na Praia Lagunar das Palmeiras

Júlia Pereira de Oliveira Silva, Gessé Pereira Ferreira, Jaqueline Borges de Matos

Resumo


Os corpos hídricos localizados em centros urbanos são gradativamente poluídos por distintas fontes. Ainda assim, suas águas são utilizadas para diversas atividades humanas. A Praia Lagunar das Palmeiras, localizada na cidade de Cabo Frio (RJ), é um ambiente aquático que tem servido como diluente dos resíduos oriundos das atividades urbanas e, por essa razão, tornou-se essencial atestar a sua qualidade. Portanto, objetivou-se aferir parâmetros físico-químicos da referida água. As inspeções foram realizadas no período diurno, considerando a variação sazonal no período de dezembro de 2018 a outubro de 2019. Para tanto, tomou-se como corpo de estudo as águas que adentram a praia, advindas diretamente do mar, e as provenientes da Lagoa de Araruama. Essas análises foram realizadas por intermédio de uma sonda multiparâmetros, composta por três sensores diferentes: OD/temperatura, CE e pH/ORP. Os resultados encontrados foram confrontados com a regulamentação do CONAMA nº357/05, classe I para água salgada. Com o monitoramento observou-se a temperatura mais elevada em dois locais denominados como pontos, J e P.  O pH sofreu uma variação indevida nesses pontos. Ambos os locais são utilizados para lançamento de resíduos na laguna. Os dados mostraram que CE, STD e salinidade apresentaram correlação diretamente proporcional, resultado confirmado pela correlação de Pearson. Observou-se no ponto J que os valores de OD se afastaram do valor parâmetro. Concluiu-se que o monitoramento realizado nesse período possibilitou tanto traçar a influência sazonal nos parâmetros analisados quanto à interferência dos resíduos lançados nessas águas.


Palavras-chave


Praia Lagunar das Palmeiras, Monitoramento sazonal, Qualidade da água

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


Alam, M. J. B., Islam, M. R., Muyen, Z., Mamun, M., & Islam, S. (2007). Water quality parameters along rivers. International Journal of Environmental Science & Technology, 4(1), 159–167.

Almeida, J.S.M. (2013). Condições de oxigenação e desoxigenação de um trecho do Rio Uberabinha no município de Uberlândia. Dissertação de Mestrado em Engenharia Química, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 80, Brasil.

Alves, E. C., Silva, C. F. D. A., Cossich, E. S., Tavares, C. R. G., Souza Filho, E. E. D., & CarnieL, A. (2008). Avaliação da qualidade da água da bacia do rio Pirapó – Maringá, Estado do Paraná, por meio de parâmetros físicos, químicos e microbiológicos. Acta Scientiarum Technology, 30(10), 39-48.

Andrade, A. R.., & Felchak, I. M. (2009). A poluição urbana e o impacto na qualidade da água do rio das antas - IRATI/PR. Revista eletrônica do curso de Geografia, 12, 1-25.

Archela, E., Carraro, A., FernandeS, F., Barros, O. N. F., & Archela, R. S. (2003). Considerações sobre a geração de efluentes líquidos em centros urbanos. Geografia, 12(1).

Banna, M. H., Najjaran, H., Sadiq, R., Imran, S. A., Rodriguez, M. J., & Hoorfar, M. (2014). Miniaturized water quality monitoring pH and conductivity sensors. Sensors and Actuators B: Chemical, 193, 434–441.

Bertucci, T. C. P., Silva, E. P., Júnior. A. N. M., & Neto, C. M. (2016). Turismo e urbanização: os problemas ambientais da lagoa de Araruama - Rio de Janeiro. Ambiente e sociedade, 19(4), 43-64.

Bidegain, P. S. P., & Bizerril, C. R. F. (2002). Lagoa de Araruama: perfil ambiental do maior ecossistema lagunar hipersalino do mundo. Rio de Janeiro: SEMADS.

Bortoluzzi, P. C., Prata, A. R., Brito, T. C., Hora, A. B., & Marques, M. N. (2019). Avaliação da qualidade de água de consumo em comunidade vulnerável no estado de Sergipe. congresso brasileiro de engenharia química em iniciação científica. Anais do XIII Congresso Brasileiro de Engenharia Química em Iniciação Científica, Uberlândia, MG, Brasil, 6.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Resolução CONAMA nº. 357, de 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Imprensa Oficial. Disponível em: http:// www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=459. Acesso em novembro/2019. 2005.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Resolução CONAMA nº. 430, de 13 de maio de 2011. Dispõe sobre as condições e padrões de lançamento de efluentes, complementa e altera a resolução n.357, de 17 de março de 2005, Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Imprensa Oficial. Disponível em: http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=646. Acesso em novembro/2019. 2011.

Brito, L. T., Silva, A. S., & Porto, E. R. (2007). Disponibilidade de água e a gestão dos recursos hídricos. Embrapa Semiárido.

Buzelli, G. M., & Cunha-Santino, M. B. (2013). Análise e diagnóstico da qualidade da água e estado trófico do reservatório de Barra Bonita (SP). Ambi-Agua, 8(1), 186-205.

Carvalho, A. P. A. M., Costa, R. S., & Rosa, J. C. L. (2018). Eutrofização e introdução de espécies exóticas em estuário hipersalino: Lagoa de Araruama, Rio de Janeiro, Brasil. IV Seminário regional sobre gestão de recursos hídricos, Campos dos Goytacazes, RJ, Brasil, 13.

Cordeiro, G. G., Guedes, N. M., Kisaka, T. B., & Nardoto, G. B. (2016). Avaliação rápida da integridade ecológica em riachos urbanos na bacia do rio Corumbá no Centro-Oeste do Brasil. Revista ambiente e água. 11(3), 702-710.

Dalson, Filho, B. F., & Júnior, J. A. S. (2009) Desvendando os mistérios do coeficiente de correlação de Pearson (r). Revista Política Hoje, 18(1).

Farion, S. R. L. (2007). Litoral do Rio Grande do Sul: rio, lago, lagoa, laguna. Revista do departamento de história e geografia, 13(1), 167-186.

Ferreira, A. P., De Lourdes, C., & Da Cunha, N. (2005). Anthropic pollution in aquatic environment: Development of a caffeine indicator. International Journal of Environmental Health Research, 15(4), 303–311.

INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO (LACTEC). (2009). Modelagem matemática para a qualidade da água para UHE Mauá. Curitiba.

Kjerfve, B., Schettini, C. A. F., Knoppers, B., Lessa, G., & Ferreira, H. O. (1996). Hydrology and Salt Balance in a Large, Hypersaline Coastal Lagoon: Lagoa de Araruama, Brazil. Estuarine, Coastal and Shelf Science, 42(6), 701–725.

Limberger, D., Moraes, J. D., & Woiczekowski, N. R. (2017). A qualidade dos córregos urbanos em pequenos municípios: parâmetros físicos e químicos da sanga das charqueadas,Tapes/RS, Brasil. VII congresso brasileiro de gestão ambiental Campo Grande/MS – 27 a 30/11/2017. IBEAS – Instituto Brasileiro de Estudos Ambientais, Campo Grande, MS, Brasil, 4.

Lougon, M. S., Rocha. S. A., Guimarães, H. F., Louzada, F. L. R. O., & Garcia, G. O. (2010). Caracterização dos sólidos totais, fixos e voláteis nas águas residuais geradas pela lavagem dos frutos do cafeeiro. XIII Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e IX Encontro Latino Americano de Pós-Graduação – Universidade do Vale do Paraíba, Espírito Santo, ES, Brasil, 3.

Lucas, A. A. T., Folegatti, M. V., & Duarte, S. N. (2010). Qualidade da água em uma microbacia hidrográfica do Rio Piracicaba, SP. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 14(9), 937–943.

Manjare, S. A., Vhanalakar, S. A., & Muley, D. V. (2010). Analysis of water quality using physico-chemical parameters tamdalge tank in kolhapur district, maharashtra. International Journal of Advanced Biotechnology and Research, 1, 115-119.

Mendes, A. B., Souza, R. C. C. L., & Silva, E. P. E. (2016). Percepção de alunos sobre a problemática ambiental da Lagoa de Araruama, Cabo Frio, Rio de Janeiro, Brasil. REMEA- Revista eletrônica do mestrado em educação ambiental, 185-212.

Millero, F. J., Feistel, R., Wright, D. G., & Mcdougall, T. J. (2008). The composition of Standard Seawater and the definition of the Reference-Composition Salinity Scale. Deep Sea Research Part I: Oceanographic Research Papers, 55(1), 50–72.

MULTIPARAMETER METER HI9828. Instruction Manual. Hanna Instruments. Woonsocket (USA): Printed in Romania, 98 p, 2013.

Nery, J. R. C., Moura, H. P., Santos, A. L. L., & Reis, A. A. B. (2012). Estudo físico-químico de águas subterrâneas na área do bairro zerão, Macapá (AP). XVIII Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas, Macapá, AP, Brasil, 8.

Percebon, C. M., Bittencourt, A. V. L., & Rosa Filho, E. F. (2005). Diagnóstico da temperatura das águas dos principais rios de blumenau, SC. Boletim Paranaense de Geociências, 56.

Pereira, L.F.M. (2007). A gestão participativa no caso do saneamento da região dos lagos, Rio de Janeiro. Revista Discente Expressões Geográficas, (3), 10-41.

Pirabota, A. R. A., Ribeiro, H. M., Morales, G. P, & Gonçalves, W. G. (2017). Caracterização de parâmetros de qualidade da água na área portuária de Barcarena, PA, Brasil. Rev. Ambient. Água, 12(3), 435-456.

Sales, V. C. (2005). Lagoas costeiras na cultura urbana da cidade de fortaleza, Ceará. Revista da anpege, 2(2), 89-96.

Sampaio, F. G., Losekann, M. E., Luiz, A. J. B., Neves, M. C., Scorvo, C. D. F., & Rodrigues, G. S. (2013). Monitoramento e gestão ambiental da piscicultura em tanques-rede em reservatórios. Informe agropecuário, 34(272), 1-11.

Schuindt, R. M. A., Daco, R. S., & Oliveira, M. M. (2018). Impactos na Lagoa de Araruama e percepção ambiental da comunidade da praia do Siqueira, Cabo Frio (RJ). Revbea, 13(1), 309-331.

Silva, A. E. P., Angelis, C. F., Machado, L. A. T., & Waichaman, A. V. (2008). Influência da precipitação na qualidade da água do Rio Purus. Acta Amazonica, 38(4), 733–742.

Silva, L. A., Carvalho, L. S., Lopes, W. A., Pereira, P. A. P., & Andrade, J. B. (2017). Solubilidade e reatividade de gases. Química nova, 40(7), 824-832.

Silva, L.H.S., Senra, M. C. E., Lespa, A. A. C., CarvalhaL, S. B. V., Alves, S. A. P. M. N., Damazio, C. M.., Shimizu, V. T. A.., Faruolo, T. C. M.., & Santos, R. C. (2003). Estudo das cianobactérias psâmicas na lagoa de Araruama, Rio de Janeiro, Brasil. In: Congresso Sobre Planejamento e Gestão das Zonas dos Países de Expansão Portuguesa, XI Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternáiro, II Congresso Quaternário dos Países de Língua Iberica, 2. Recife, Brasil, 3.

Skoog, D. A., West, D. M., Holler, F. J., & Crouch, S. R. (2015). Fundamentos de química analítica. (9 ed.). São Paulo: Cengage Learning.

Souza, C. M. M. A. (2017). Comparação de modelos numéricos bidimensional e tridimensional para a avaliação de mudanças ambientais, aplicado à região costeira de Santos. Tese de doutorado, Engenharia Civil na área de Recursos Hídricos, Energéticos e Ambientais, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 175, Brasil.

Souza, J. R., Moraes, M. E. B., Sonoda, S. L., & Santos, H. C. R. G. (2014). A Importância da Qualidade da Água e os seus Múltiplos Usos: Caso Rio Almada, Sul da Bahia, Brasil. REDE - Revista Eletrônica do Prodema, 8(1), 26-45.

Spiro, T. G., & StiglianI, W. (2009). Química Ambiental. (2. ed.). São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Vargas, R. R., Saad, A. R., Dalmas, F. B., Rosa, A., Arruda, R. O. M., Mesquita, M. V., & Andrade, M. R. M. (2015). Water Quality Assessment in the Córrego Taquara do Reino Hydrographic Basin, Guarulhos Municipality (São Paulo State - Brazil): Effects of Environmental Degradation. Anuário do Instituto de Geociências – UFRJ, 38(2), 137-144.

Vieira, M. R. (2015). Os principais parâmetros monitorados pelas sondas multiparâmetros são: pH, condutividade, temperatura, turbidez, clorofila ou cianobactérias e oxigênio dissolvido. Agencia nacional das águas – ANA, 3.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Júlia Pereira de Oliveira Silva, Gessé Pereira Ferreira, Jaqueline Borges de Matos

ISSN: 2595-4431

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn