Balneabilidade das praias do litoral de Salvador-BA: investigação da interferência da precipitação nas densidades de Escherichia coli

Luciano da Silva Alves, Bruno Bastos Nazar Machado, Diego Ferreira de Oliveira

Resumo


Diante da insuficiência dos serviços de saneamento básico no litoral de Salvador-BA, acredita-se que a incidência de chuvas tenha contribuído com a degradação da qualidade da água para fins de balneabilidade. Nesse sentido esta pesquisa tem como objetivo, investigar a influência da precipitação nas densidades de E.coli das praias localizadas no litoral de Salvador-BA. Para tanto foram utilizados os dados de monitoramento pluviométrico e da balneabilidade disponibilizados pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado da Bahia (INEMA), referentes ao ano de 2017 e 2018. Para avaliar a dependência das variáveis, foi aplicado o Coeficiente de Correlação Linear de Pearson (r). Os resultados apontaram influência da precipitação nas densidades de E.coli de 17 praias. No ano de 2017 a maior correlação (r=0.58) foi obtida com o precipitado um dia antes da data da coleta na estação do Cabula com os níveis de E.coli da praia de Amaralina - AM 100. Com r = 0.67, no ano de 2018, as maiores correlações foram obtidas com o registrado na estação do Cabula dois dias antes da coleta com as densidades de E.coli das praias de Armação- AR 200 e Rio Vermelho - RV 100. De modo geral as correlações estiveram variando na faixa moderada. Foi possível concluir que embora exista influência da precipitação na dinâmica de E.coli, o aporte de bactérias está associado a múltiplos fatores decorrentes do ambiente.


Palavras-chave


Pluviometria, Monitoramento, Balneabilidade

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


ALVES, L. S.; RABELO, I. S. Avaliação da balneabilidade das Praias do Farol da Barra e Porto da Barra, Salvador (BA). Natural Resources, v. 9, n. 1, p. 38-46, 2019.

ALVES, L. S.; SANTOS, L. L.; ALVES, C. S.; TEIXEIRA, I. C. Balneabilidade da praia de Ondina: um estudo sobre a influência da precipitação e a relação com o saneamento básico. Engenharia Sanitária e Ambiental: Tecnologias para a Sustentabilidade 2. 2ed.Belo Horizonte: Atena Editora, 2019, v. 2, p. 163-171.

BERG, C. H.; GUERCIO, M. J.; ULBRICHT, V. R. Indicadores de balneabilidade: a situação brasileira e as recomendações da world health organization. Int. J. Knowl. Eng. Manag, Florianópolis, v. 2, p. 83-101, jul./out. 2013.

BORJA, P. S.; FREDIANI, D. A.; BARRETO, T. B.; MORAIS, L. R. S. Serviços públicos de saneamento básico em Salvador-Ba: estudo sobre as desigualdades de acesso. Revista Eletrônica de Gestão e Tecnologias Ambientais, v. 3, n. 2, p. 140, 2015.

BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA). Resolução nº 274 de 29 de novembro de 2000. Dispõe sobre Classificação das águas doces, salobras e salinas essencial à defesa dos níveis de qualidade, avaliados por parâmetros e indicadores específicos, de modo a assegurar as condições de balneabilidade; de forma a assegurar as condições necessárias à recreação de contato primário. Diário oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 29 nov. 2000.

BUER, A. L.; GYRAYTE, G.; WEGENER, P.; LANGE, X.; KATARZYTE, M.; HAUK, G.; SCHERNEWSKI, G. Long term development of Bathing Water Quality at the German Baltic coast: spatial patterns, problems and model simulations. Marine Pollution Bulletin, v. 135, p. 1055–1066, 2018.

COSTA, J. R.S. Análise das condições de balneabilidade nas praias do município de Natal/RN: estudo de caso nas praias do forte e redinha no período de 2010 a 2016. 38 f. Monografia (Licenciatura em Geografia) Universidade Estadual da Paraíba, Guarabira, 2018.

COSTA. C. R.; COSTA. M. F.Revisão de metodologias do monitoramento microbiológico da qualidade da água em praias recreativas. Revista Brasileira de Meio Ambiente, v.8, n.3. 092-113 (2020)

FILHO, D. B. F.; JÚNIOR, J. A. S. Desvendando os mistérios do coeficiente de correlação linear de Pearson (r). Revista Política Hoje, v.18, n.1. 2009.

FRANÇA, L.; CASAGRANDE, J.; FORTUNA, J. Avaliação microbiológica das areias e da água das praias dos municípios litorâneos que formam a costa das baleias. Revista de Estudos Ambientais, v. 20, n. 1, p. 44, 2018.

FRANCY, D.; STELZER, E.A.; DURIS, J. W.; BRADY, A. M. G.; HARRISON, J. H.; JOHNSON, H. E.; WARE, M. W. Predictive Models for Escherichia coli Concentrations at Inland Lake Beaches and Relationship of Model Variables to Pathogen Detection. Applied and Environmental Microbiology, v. 79, n. 5, p. 1676-1688, 2013.

HIRAI, F. M. Uso de dados de precipitação e qualidade da água no gerenciamento de recursos hídricos com vistas à balneabilidade. 171 f. Dissertação (Mestre em Engenharia) Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

HIRAI, F. M.; PORTO, M. F. A. Metodologias de previsão de balneabilidade e sua aplicação na gestão da qualidade da água destinada a recreação. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, v. 19, n. 3, p. 339-345, 2014.

HIRAI, F.; PORTO, M. O desenvolvimento de ferramentas de predição de balneabilidade baseadas em níveis de precipitação: estudo de caso da praia de Cachoeira das Emas (SP). Engenharia Sanitaria e Ambiental, v. 21, n. 4, p. 797-806, 2016.

INSTITUTO DO MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS DO ESTADO DA BAHIA – INEMA, 2019, Boletins de Balneabilidade, Litoral de Salvador-Ba, disponível em: < http://balneabilidade.inema.ba.gov.br/>. Acesso em: 12/04/2019

LIMA, D. C.; CRATÉ, J. P. M.; BARRELA, W. Fatores de influência sobre a balneabilidade das praias de Santos-Sp. Unisanta Bioscience, V. 5, p. 357-368. 2016.

MORAES, L.R.S.; ÁLVARES, M.L.P.; SANTOS, F.P.; COSTA, N.C.A. Saneamento e qualidade das águas dos rios em Salvador, 2007-2009. Revista Interdisciplinar de Gestão Social, v.1, n.1, p. 47-60, jan./abr. 2012.

NASCIMENTO R. C. M; GUILHERME B. C.; ARAÚJO. M. C. B.; MAGAROTTO. M.; CAVALCANTI J. S.S. Uso de Indicadores Ambientais em áreas costeiras: uma revisão bibliográfica. Revista Brasileira de Meio Ambiente, v.2, n.1. 052-069 (2018)

NETO, W. A. S. Aplicação de um modelo de regressão linear aos dados de balneabilidade das praias de natal entre 2011 e 2015. 67 f. Monografia (Bacharel em Estatística) Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.

POND, K. Water recreation and disease plausibility of associated infections: acute effects, sequelae and mortality. World Health Organization (WHO). 2005. 231f.

ROSSI, W.; BRANCO, L.C.; LACERDA, J.A.; GOMES, A.C.; WAGNER, E.M.S. Fontes de poluição e o controle da degradação dos rios urbanos em Salvador. Revista Interdisciplinar de Gestão Social, v.1, n.1, p. 61-74, jan./abr. 2012.

SNIS. Sistema Nacional sobre Saneamento. Disponível em: http://www.snis.gov.br/. Acesso: Abril de 2019.

VICENTE, C. A. Diagnóstico das condições de balneabilidade das praias urbanas da cidade de Natal/RN. 37 f. Monografia (Bacharel em Engenharia Ambiental) Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Luciano da Silva Alves, Bruno Bastos Nazar Machado, Diego Ferreira de Oliveira

ISSN: 2595-4431

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn