Comparação de softwares de análise de imagem para a determinação da área foliar.

Jhonatan Rafael Zárate-Salazar, Mirela Natália Santos, José Nailson Barros Santos, Flavio Lozano Isla

Resumo


A estimativa da área foliar é um componente fundamental para os modelos de desenvolvimento das plantas, pois permite compreender as adaptações ecofisiológicas perante estímulos do meio ambiente ou de práticas de manejo. Nesse sentido, objetivamos avaliar a acurácia de três softwares de análise de imagem que mensuram a área (AF), comprimento (C) e largura (L) foliar, respectivamente, suprindo a falta de direcionamento quanto à validação e comparação destes softwares em estudos biológicos alométricos. Foram selecionadas aleatoriamente 176 folhas elípticas, as quais depois de digitalizadas, foram mensuradas com os softwares ImageJ, Image-Pro PLUS® e AFSoft. A AF, C e L foliar mensurados por cada software foram submetidos aos testes de Kolmovorov-Smirnov e Bartlett para confirmação da normalidade e homocedasticidade, respectivamente. A ANOVA foi realizada considerando os três softwares para a área foliar.  Para o comprimento e largura foliar foi utilizado o teste t-Student entre ImageJ e Image Pro PLUS®. Nestes últimos, adicionalmente por meio de um modelo exponencial AF= β0*(C*L)β1, foram comparados os resíduos. Nossos resultados evidenciaram que os softwares ImageJ, Image Pro PLUS® e AFSoft não demonstraram diferenças significativas na mensuração da área foliar na ANOVA (F=1,581; p-valor=0,267). Comparando a mensuração da largura e comprimento foliar, os softwares ImageJ e Image Pro PLUS® não apresentaram diferenças significativas com o teste t-Student (t = -0,248; p-valor= 0,804 e t = -0,812; p-valor= 0,417, respectivamente). Da mesma forma, os resíduos do modelo exponencial tampouco apresentaram diferenças significativas entre si (t = -0,027; p-valor= 0,979).  Portanto, concluímos que é possível determinar com a mesma exatidão a área foliar e dimensões foliares fazendo uso de softwares livres como ImageJ e AFSoft, de modo que os estudantes e pesquisadores não deveriam se limitar à utilização de softwares pagos por receio de perder acurácia.


Palavras-chave


ImageJ; Image Pro PLUS®; AFSoft; Alometria

Texto completo:

PDF (PT) PDF (ENG)

Referências


ALLEN, R. G. et al. Proposed revision to the FAO procedure for estimating crop water requirements. Acta Horticulturae, n. 449, p. 17–34, ago. 1997.

ANTUNES, W. C. et al. Allometric models for non-destructive leaf area estimation in coffee (Coffea {arabicaandCoffea} canephora). Annals of Applied Biology, v. 153, n. 1, p. 33–40, ago. 2008.

BUSINNES SOFTWARE ALLIANCE. Seizing Opportunity Through License Complianse BSA Global Software Survey. [s.l: s.n.]. Disponível em: .

DÍAZ, S. et al. The global spectrum of plant form and function. Nature, v. 529, n. 7585, p. 167–171, dez. 2015.

FERES, MARCOS VINÍCIO CHEIN OLIVEIRA, JORDAN VINÍCIUS DE AND GONCALVES, D. D. Robin Hood às avessas: software, pirataria e direito autoral. Revista Direito GV, v. 13, n. 1, p. 69–94, 2017.

FERREIRA, T.; RASBAND, W. ImageJ User Guide. IJ 1.46r, p. 185, 2012.

JORGE, L. A. DE C.; SILVA, D. J. DA C. B. AFSoft: Manual de Utilização. Embrapa Instrumentação Agropecuária. [s.l: s.n.]. Disponível em: .

KATABUCHI, M. LeafArea: an R package for rapid digital image analysis of leaf area. Ecological Research, v. 30, n. 6, p. 1073–1077, 2015.

KHAN, D.; ZAKI, M. J.; ABBAS, S. M. Leaf area estimation in Jojoba (Simmondsia chinensis (Link.) CE Schneider) seedlings. International Journal of Biology and Biotechnology, v. 12, p. 667–674, 2015.

MALDANER, I. C. et al. Modelos de determinação não-destrutiva da área foliar em girassol. Ciência Rural, v. 39, n. 5, p. 1356–1361, ago. 2009.

MANTUANO, D. G.; BARROS, C. F.; SCARANO, F. R. Leaf anatomy variation within and between three" restinga" populations of Erythroxylum ovalifolium Peyr:(Erythroxylaceae) in Southeast Brazil. Brazilian Journal of Botany, v. 29, n. 2, p. 209–215, 2006.

MUSCARELLA, R.; URIARTE, M. Do community-weighted mean functional traits reflect optimal strategies? Proceedings of the Royal Society B: Biological Sciences, v. 283, n. 1827, p. 20152434, mar. 2016.

NASCIMENTO, I. B. DO et al. Estimativa da área foliar do meloeiro. Horticultura Brasileira, v. 20, n. 4, p. 555–558, dez. 2002.

PÉREZ-HARGUINDEGUY, N. et al. New handbook for standardised measurement of plant functional traits worldwide. Australian Journal of Botany, v. 61, n. 3, p. 167, 2013.

PITA-BARBOSA, A. et al. Efeitos fitotóxicos do fluoreto na morfoanatomia foliar de Brachiaria brizantha (Hochst. ex A. Rich.) Stapf e Brachiaria decumbens Stapf (Poaceae). Acta Botanica Brasilica, v. 23, p. 1027–1033, 2009.

POMPELLI, M. F. et al. Allometric models for non-destructive leaf area estimation of Jatropha curcas. Biomass and Bioenergy, v. 36, p. 77–85, jan. 2012.

R CORE TEAM. R: A Language and Environment for Statistical ComputingVienna, Austria, 2018. Disponível em:

ROYER, D. L. et al. Correlations of climate and plant ecology to leaf size and shape: potential proxies for the fossil record. American Journal of Botany, v. 92, n. 7, p. 1141–1151, jul. 2005.

SALAS, C. ¿Por qué comprar un programa estadístistico si existe R? Ecología austral, v. 18, n. 2, p. 223–231, 2008.

SANTOS, J. N. B. Equações alométricas para estimativa da área foliar de espécies lenhosas de floresta ombrófila de terras baixas. [s.l.] Universidade Federal Rural de Pernambuco, 2016.

SEVERINO, L. S.; CARDOSO, G. D.; SANTOS, J. W. DOS. Método para determinação da área foliar da mamoneira. Embrapa Algodão-Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento (INFOTECA-E), 2005.

SFAIR, J. C.; ROSADO, B. H. P.; TABARELLI, M. The effects of environmental constraints on plant community organization depend on which traits are measured. Journal of Vegetation Science, v. 27, n. 6, p. 1264–1274, ago. 2016.

SILVEIRA, S. A. DA. Inclusão digital, software livre e globalização contra-hegemônica. Seminários temáticos para a 3a Conferência Nacional de C,T&I. 2003.

SOUSA, M. H. DE; SILVA, N. N. DA. Comparação de softwares para análise de dados de levantamentos complexos. Revista de Saúde Pública, v. 34, p. 646–653, 2000.

TAVARES-JÚNIOR, J. E. et al. Análise comparativa de métodos de estimativa de área foliar em cafeeiro. Bragantia, v. 61, n. 2, p. 199–203, ago. 2002.

TERUEL, D. A. Modelagem do índice de área foliar da cana-de-açúcar em diferentes regimes hídricos. Piracicaba: Escola Superior de Agricultura" Luiz de Queiroz", Universidade de São Paulo, 1995.

TRAISER, C. et al. Environmental signals from leaves - a physiognomic analysis of European vegetation. New Phytologist, v. 166, n. 2, p. 465–484, jan. 2005.

WRIGHT, I. J. et al. The worldwide leaf economics spectrum. Nature, v. 428, n. 6985, p. 821–827, abr. 2004.

XU, F. et al. Leaf morphology correlates with water and light availability: What consequences for simple and compound leaves? Progress in Natural Science, v. 19, n. 12, p. 1789–1798, dez. 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Jhonatan Rafael Zárate-Salazar, Mirela Natália Santos, José Nailson Barros Santos, Flavio Lozano Isla

ISSN: 2595-4431

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn