Percepção dos Impactos Socioambientais da Energia Eólica no Sertão Paraibano

Thays Santana dos Santos Nascimento, Francieude Oliveira de Souza, Lucas Andrade de Morais, Eunice Ferreira Carvalho

Resumo


A sociedade pós-industrial encontrou limites para o crescimento econômico, tendo em vista os impactos e crises ambientais e como é preciso conciliá-lo com o meio ambiente, surge o desenvolvimento sustentável. E para atingir a sustentabilidade, as fontes de energias renováveis são expandidas como resposta aos problemas ambientais. Por isso, o objetivo desse trabalho é identificar os impactos socioambientais da instalação do Parque Eólico Lagoa I a partir da percepção dos moradores em uma comunidade local em São José do Sabugi - PB. Para tanto, procede-se pela pesquisa qualitativa, exploratória e de campo. Deste modo, observa-se que os principais impactos dos parques são decorrentes da construção de estradas, lazer e sobre as expectativas de geração de emprego e renda para a comunidade local.


Palavras-chave


Energia eólica, Impactos socioambientais, Sertão, Sustentabilidade.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


ANEEL. Agência Nacional de Energia Elétrica. (2002). Atlas de energia elétrica do Brasil. Brasília: ANEEL, 2002.

BARCELLA, M, S., & BRAMBILLA, F, R. (2012). Energia eólica e os impactos socioambientais: estudo de caso em parque eólico do rio grande do sul. Revista de Ciências Ambientais, 6(2), 5-18.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acessado em: 19 julho/2019, 1988.

CARVALHO, F, A, G., & COIMBRA, K, E, R. (2018). Impactos da instalação do parque eólico ventos do Araripe na cidade de Araripina - PE. Educação Ambiental em Ação, (64).

CHAVES, L, O., BRANNSTROM, C., & SILVA, E, V. Energia eólica e a criação de conflitos: ocupação dos espaços de lazer em uma comunidade do nordeste do Brasil. Sociedade e território, 2, 49-69.

CMMAD. (1991). Nosso futuro comum. (2 ed.). Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas.

EPE. Empresa de Pesquisa Energética. (2012). Balanço Energético Nacional (BEN): Relatório Síntese/Ano Base 2018. Rio de Janeiro: Ministério de Minas e Energia (MME).

FERREIRA JUNIOR, J, C, G., RODRIGUES, M, G. (2015). Um estudo sobre a energia eólica no Brasil. Revista Ciência atual, 5(1), 02-13.

GERHARDT, T. E., & SILVEIRA, D. T. (2009). Métodos de pesquisa. (1a ed.). Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 9-113.

GOMES, L. E. B. G., & HENKES, J. A. (2015). Análise da energia eólica no cenário elétrico: aspectos gerais e indicadores de viabilidade econômica. Revista de Gestão & Sustentabilidade Ambiental, 3(2), 463-482.

JUNIOR, A, O, P., SOARES, J, B., OLIVEIRA, R, G., & QUEIROZ, R, P. (2014). Indicadores energéticos para o desenvolvimento sustentável: uma análise a partir do plano nacional de energia. Curitiba: COPEL, 303.

Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Institui a Política Nacional do Meio Ambiente. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L6938.htm. Acessado em: 20 julho/2019, 1981.

MENDES, L., COSTA, M., & PEDREIRA, M. J. (2002). A energia eólica e o ambiente: Guia de orientação para avaliação ambiental. Alfragide: Instituto do Ambiente.

MESQUITA, A. N. S., SILVA. R. C., SILVA, A. P. F., & SIQUEIRA. W. N. (2018). A influência da implantação do parque eólico sobre a economia na Região Agreste de Pernambuco. Revista Brasileira de Meio Ambiente. 1(1). 011-019.

MICHEL, M. H. (2009). Metodologia e pesquisa científica em ciências sociais. (2a .ed). São Paulo: Atlas.

MONTE, R. (2017). Parques eólicos investem nos ‘vendedores de vento’ para aquecer economia na Paraíba. Portal Correio. Disponível em: https://portalcorreio.com.br/especial/parques-eolicos-paraiba/. Acesso em: 15 de agosto/2019.

RIBEIRO, H. C. M., PIEROT, R. M., & CORRÊA, R. (2012). Projeto de mecanismo de desenvolvimento limpo: um estudo de caso na empresa de energia eólica do estado do Piauí. Revista de Administração, Contabilidade e Sustentabilidade, 2(2), 61-75.

SIMAS, M., & PACCA, S. (2013). Energia eólica geração de empregos e desenvolvimento sustentável. Estudos Avançados, 27(77), 99-115.

PACHECO, F. Energias Renováveis: breves conceitos. (2006). Conjuntura e Planejamento, Salvador: SEI, (149), 4-11.

PERES, M. B., & BERED, A. R. (2003). Critérios e procedimentos para o licenciamento de parques eólicos: considerações sobre os potenciais impactos ecológicos na planície costeira no Rio Grande do Sul, Brasil. II Congresso Sobre Planejamento e Gestão das Zonas Costeiras dos Países de Expressão Portuguesa, Recife, PE, 3.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Thays Santana dos Santos Nascimento, Francieude Oliveira de Souza, Lucas Andrade de Morais, Eunice Ferreira Carvalho

ISSN: 2595-4431

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn