Percepção da população sobre espécies herbáceas, suas interações ecológicas e serviços ecossistêmicos em sistemas seminaturais de João Pessoa (Brasil)

Letícia Keyla França de Andrade, Edito Romão da Silva Neto, Maria Alinny Cruz da Silva, Thayana Evangelista Maroja, Ellen Kévellen Diógenes Araújo Moura, Zelma Glebya Maciel Quirino

Resumo


Praças públicas são áreas verdes urbanas que desempenham um papel fundamental na manutenção e suporte a biodiversidade, bem como na provisão de serviços ecossistêmicos. As herbáceas integram ecossistemas urbanos e exercem funções ecológicas e sociais importantes a população das cidades. Este estudo objetivou verificar o conhecimento sobre os serviços ecossistêmicos prestados pelas herbáceas e avaliar a percepção da população sobre interações ecológicas da fauna e flora ocorrente em áreas seminaturais de João Pessoa. A pesquisa foi conduzida em oito praças públicas situadas nas quatro zonas da cidade. Foi aplicado um questionário composto por perguntas semi-abertas e fechadas, direcionadas aos frequentadores das praças (N=80). Apenas 37% das pessoas souberam indicar a utilidade das herbáceas para a sociedade, destacando-as em três grupos: alimentício, estético e medicinal. Os entrevistados acreditam no potencial que as herbáceas possuem para tornar as praças públicas ambientes mais agradáveis esteticamente, capazes de promover uma maior qualidade de vida a população que reside nas cidades e, embora não haja um conhecimento em nível científico, demonstraram compreender a conexão entre a flora herbácea e as espécies da fauna que compõem esse ecossistema. Conclui-se que a utilização da Percepção Ambiental como uma ferramenta de aporte as ações propostas pela Educação Ambiental irão proporcionar uma formação de cidadãos com posicionamento crítico frente aos problemas socioambientais da cidade de João Pessoa.


Palavras-chave


Áreas verdes urbanas; ecologia urbana; Educação Ambiental; interações ecológicas; qualidade de vida

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


ARONSON, M.F.J.; LEPCZYK, C. A.; EVANS, K. L.; GODDARD, M. A.; LERMAN, S. B.; MACIVOR, J. S.; VARGO, T. Biodiversity in the city: key challenges for urban green space management. Frontiers in Ecology and the Environment, 15(4), 189-196, 2017.

BAGALKOTKAR, G.; SAGINEEDU, S. R.; SAAD, M. S.; STANSLAS, J. Phytochemicals from Phyllanthus niruri Linn. and their pharmacological properties: a review. Journal of pharmacy and pharmacology, 58(12), 1559-1570, 2006.

BAKER, H. G. Patterns of plant invasion in North America. In: Ecology of biological invasions of North America and Hawaii. Springer, New York, NY. p. 44-57, 1986.

BOLUND, P.; HUNHAMMAR, S. Ecosystem services in urban areas. Ecological economics, 29 (2), 293-301, 1999.

CALIXTO, J. B. S., A. R.; FILHO, V. C.; YUNES, R. A. A review of the plants of the genus Phyllanthus: their chemistry, pharmacology, and therapeutic potential. Medicinal research reviews, 18(4), 225-258, 1998.

CHAI, T.; WONG, F. Whole-plant profiling of total phenolic and flavonoid contents, antioxidant capacity and nitric oxide scavenging capacity of Turnera subulata. Journal of Medicinal Plants Research, 6(9), 1730-1735, 2012.

COLDING, J. The role of ecosystem services in contemporary urban planning. Oxford, UK: Oxford University Press. 9 p. 2011.

COSTA, C. C. Percepção ambiental dos policiais do pelotão de Polícia Militar Ambiental do Estado de Sergipe. Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais, 4(1), 15-32, 2013.

DIRZO, R.; YOUNG, H. S.; GALETTI, M.; CEBALLOS, G.; ISAAC, N. J.; COLLEN, B. Defaunation in the Anthropocene. Science, 345(6195), 401-406, 2014.

GASTON, K. J.; ÁVILA‐JIMÉNEZ, M. L.; EDMONDSON, J. L. Managing urban ecosystems for goods and services. Journal of Applied Ecology, 50(4), 830-840, 2013.

GODDARD, M. A.; DOUGILL, A. J.; BENTON, T. G. Scaling up from gardens: biodiversity conservation in urban environments. Trends in ecology & evolution, 25(2), 90-98, 2010.

GOIS, M. A. F. L.; COSTA, F. C. A.; MOURA, J. C. M.; LOBATO, P. H. B. Etnobotânica de espécies vegetais medicinais no tratamento de transtornos do sistema gastrointestinal. Revista Brasileira Plantas Medicinais, Campinas, 18(2), 547-557, 2016.

GUNNARSSON, B. K. I.; HEDBLOM, M.; SANG, Å. O. Effects of biodiversity and environment-related attitude on perception of urban green space. Urban Ecosystems, 20(1), 37-49, 2017.

GUNNARSSON, B.; KNEZ, I.; HEDBLOM, M.; SANG, Å. O. Effects of biodiversity and environment-related attitude on perception of urban green space. Urban Ecosystems, 20(1), 37-49, 2017.

HEPCAN, Ş.; HEPCAN, Ç. C.; BOUWMA, I. M.; JONGMAN, R. H.; ÖZKAN, M. B. Ecological networks as a new approach for nature conservation in Turkey: a case study of Izmir Province. Landscape and Urban Planning, 90(3-4), 143-154, 2009.

IBGEa. Dados de distribuição geográfica. 2017. Disponível em: < http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=251210&search=||infográficos:-informações-completas>. Acesso em: Abril de 2018.

IBGEb. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | v4.3.8.15.5, 2017. Disponível em: Acesso em: Julho de 2018.

KIM, M.; RUPPRECHT, C.; FURUYA, K. Residents’ Perception of Informal Green Space—A Case Study of Ichikawa City, Japan. Land, 7(3), 102, 2018.

PREFEITURA DE JOÃO PESSOA. Lei Municipal do Código de Meio Ambiente de João pessoa. Lei complementar Nº 29, de 05 de Agosto de 2002. Artigos 89-100. Disponível em: < https://leismunicipais.com.br/a/pb/j/joao-pessoa/lei-complementar/2002/2/29/lei-complementar-n-29-2002-institui-o-codigo-de-meio-ambiente-do-municipio-de-joao-pessoa-e-dispoe-sobre-o-sistema-municipal-de-meio-ambiente-sismuma >. Acessado em Janeiro/2019. 2002.

LERMEN, H. S.; FISHER, P. D. Percepção ambiental como fator de saúde pública em área de vulnerabilidade social no Brasil. Revista de APS, 13(1), 62-71, 2010.

MAZZEI, K.; MUNO COLESANTI, M. T.; GOMES DOS SANTOS, D. Áreas verdes urbanas, espaços livres para o lazer. Sociedade & Natureza, 19(1), 33-43, 2007.

MIRANDA, N. M.; SOUZA, L. B. Percepção Ambiental em propriedades rurais: Palmas (TO), Brasil. Mercator, Fortaleza, 10(23), 171-186, 2011.

NEJAT, N.; VALDIANI, A.; CAHILL, D.; TAN, Y. H.; MAZIAH, M.; ABIRI, R. Ornamental exterior versus therapeutic interior of Madagascar periwinkle (Catharanthus roseus): the two faces of a versatile herb. The Scientific World Journal, 2015, 1-19, 2015.

REBOUÇAS, M. A.; GRILO, J. A.; ARAÚJO, C. L. Percepção Ambiental dos visitantes do Parque Municipal Dom Nivaldo Monte em Natal/RN. HOLOS, 3, 109-120, 2015.

REIS, R. R.; TORRES, A. G.; CARVALHO, J. O.; MONTE, M. J. S.; CARVALHO, O. F. Alimentos com efeitos na saúde humana, em especial na obesidade: compostos bioativos e atividade antioxidante. Revista Interdisciplinar, 9(3), 36-41, 2016.

ROSSI, A. E.; MANZANO, M. A. Percepção de estudantes do ensino fundamental e médio sobre o problema ambiental do Rio Xambrê, PR. Educere-Revista da Educação da UNIPAR, 5(1), 27-34 2008.

SANTOS, A. C. B.; SILVA, M. A. P.; SOUZA, R. K. D. Levantamento florístico das espécies utilizadas na arborização de praças no município de Crato, CE. Cadernos de Cultura e Ciência, 10(1), 13-18, 2012.

SEMAM. Secretaria de Meio Ambiente. Cartilha de Arborização Urbana de João Pessoa. Prefeitura Munical, 4º ed. 2017.

SILVA, T.; ATAÍDE CÂNDIDO, G.; XAVIER FREIRE, E. M. Conceitos, percepções e estratégias para conservação de uma estação ecológica da Caatinga nordestina por populações do seu entorno. Sociedade & Natureza, 21(2), 23-37, 2009.

SJÖMAN, H. M.; SJÖMAN, J. D.; Sæbø, A.; KOWARIK, I. Diversification of the urban forest—Can we afford to exclude exotic tree species? Urban Forestry & Urban Greening, 18, 237-241, 2016.

SWILLING, M.; ROBINSON, B.; MARVIN, S.; HODSON, M.; HAJER, M. City-level decoupling: urban resource flows and the governance of infrastructure transitions. A report of the working group on cities of the international resource panel. 95 p. 2013.

TANNER, C. J.; ADLER, F. R.; GRIMM, N. B.; GROFFMAN, P. M.; LEVIN, S. A.; MUNSHI-SOUTH, J.; WILSON, W. G. Urban ecology: advancing science and society. Frontiers in Ecology and the Environment 12(10), 574-581, 2014.

TRINDADE, P. M. M. Vegetação herbácea em parques e jardins da cidade do Porto - análise de abordagens ecológicas e naturalistas. Dissertação de Mestrado. FCUP, Portugal. 130 p., 2012.

VAN KLEUNEN, Mark; WEBER, Ewald; FISCHER, Markus. A meta‐analysis of trait differences between invasive and non‐invasive plant species. Ecology letters, 13(2), 235-245, 2010.

WEBER, F.; KOWARIK, I.; SÄUMEL, I. Herbaceous plants as filters: Immobilization of particulates along urban street corridors. Environmental Pollution, 186, 234-240, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Letícia Keyla França de Andrade, Edito Romão da Silva Neto, Maria Alinny Cruz da Silva, Thayana Evangelista Maroja, Ellen Kévellen Diógenes Araújo Moura, Zelma Glebya Maciel Quirino

ISSN: 2595-4431

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn