Inventário da Arborização Urbana do município de Ampére (Paraná – Brasil)

Jeandra Soares, Luciana Pellizzaro

Resumo


A arborização urbana é considerada um dos componentes bióticos mais importantes das cidades. Quando bem planejada, pode proporcionar inúmeros benefícios ao desempenhar importantes funções ecológicas, estéticas e sociais. Neste contexto, o objetivo do presente trabalho é apresentar os resultados do inventário da arborização urbana do município de Ampére, Paraná. Foi realizada uma pesquisa bibliográfica, descritiva e de campo com abordagem quali-quantitativa. Foram avaliadas, localização e as características da árvore e do local, assim como informações de manejo. Foram identificadas 1218 indivíduos, de 49 espécies e 25 famílias. Houve predominância de espécies exóticas (85,95%) em detrimento das nativas (10,24%). Uma das espécies exóticas, Cinnamomum burmannii representou 44,09% da população amostrada. Ligustrum lucidum, Mangifera indica e Grevillea robusta que compõem a arborização do município estão na Lista das Espécies Exóticas invasoras no estado do Paraná. A espécie nativa mais abundante foi Eugenia uniflora (2,71%). 41,46% das áreas livres foi inferior a 1 m² e a inserção da primeira bifurcação das espécies encontrava-se inferior a 1,80 m na maior parte dos indivíduos. Observou-se calçadas com levantamentos e rachaduras causadas, principalmente, por espécies de porte e manejo inadequado. As características viárias são favoráveis à arborização, contudo, o manejo não é adequado.

Palavras-Chaves: Planejamento urbano. Plano de Arborização. Diagnóstico. Espécies exóticas invasoras.



Texto completo:

PDF (Português)

Referências


ABNT. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 9050:2004. Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. 2004.

ALVARES, C. A. et al. Köppen's climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift. v. 22, n. 6, pp. 711-728, 2013.

ALMEIDA, D. N.; RONDON NETO, R. M. Análise da arborização urbana de três cidades da região norte do Estado de Mato Grosso. Acta Amaz. Manaus, v. 40, n. 4, p. 647-656, dez. 2010 .

BIZ, S. Inventário do patrimônio arbóreo do bairro Centro Norte da Cidade de Dois Vizinhos – Pr. 2014. 98 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR, 2014. Disponível em: < http://docs.wixstatic.com/ugd/2b672d_e8522ffd1c4c4f9895ec7100dd307298.pdf > Acesso em: 15 ago 2018.

BORTOLETO, S. Inventário quali-quantitativo da arborização viária da Estância de Águas do São Pedro – SP. 2004. 85f. (Mestrado em Agronomia), Programa de Pós-Graduação em Agronomia – Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2004.

BRAZOLIN, S. Biodeterioração, anatomia do lenho e análise de risco de queda de árvores de tipuana, Tipuana tipu (Benth.) O. Kuntze, nos passeios públicos da cidade de São Paulo, SP. 265 f. Tese (Doutorado em Recursos Florestais). Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Piracicaba, 2009.

BRUN, F.G.K, LINK, D., BRUN, E.J. O emprego da arborização na manutenção da biodiversidade de fauna em áreas urbanas. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, v.2, n.1, pp.117-127, 2007.

CARIÑANOS,P et al. Characterization of Allergen Emission Sources in Urban Areas.J Environ Qual. v. 45, n. 1, pp. 244-52. 2016.

CARIÑANOS, P.; CASARES-PORCEL, M Urban green zones and related pollen allergies: A review. Guidelines for designing spaces of low allergy impact. Landsc. Urban Plan. n.101, pp. 205–214, 2011.

CARLOS, A.F.A. O Espaço Urbano: Novos escritos sobre a cidade. São Paulo: FFLCH, 2007, 123p.

PONTES, R. C. Inventário das espécies arbóreas das vias urbanas de Itapejara D'Oeste, Paraná, Brasil. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Paranaense, Francisco Beltrão. 2018.

CEMIG ­ COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS. Manual de arborização. Belo Horizonte: Cemig/Fundação Biodiversitas, 2011.

COPEL - COMPANHIA PARANAENSE DE ENERGIA. NTC 841100: Projeto de redes de distribuição compacta protegida. 2013.

HOLDEFER, E. Diagnóstico da Arborização das vias urbanas do Município de Sulina, Paraná. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Paranaense, Francisco Beltrão. 2018.

FUNDAÇÃO DE PESQUISAS FLORESTAIS DO PARANÁ. 2001. Conservação do Bioma Floresta com Araucária: relatório final. Diagnóstico dos remanescentes florestais/PROBIO. Araucária, 2 v., 236 pp.

GOMES, Lucimar dos Santos; QUEIROZ, Sunélio Ferreira de; OLIVEIRA, Cristiane Aparecida de; COLARES, Carla Jovaina Gomes. Uso e Aplicação de Calçadas Ecológicas na Cidade de Anápolis – GO. Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes. Cidades Verdes, v.01, abr. 2013, p. 223.

GONÇALVES, W. Florestas urbanas. Viçosa: Revista Ação Ambiental. v. 9, n.1, p.17-19, 1999.

GONÇALVES, W.; PAIVA, H. N. de. Silvicultura urbana: implantação e manejo. Viçosa: Aprenda Fácil Editora, 2006.

IAP- INSTITUTO AMBIENTAL DO PARANÁ. Lista de Espécies Exóticas Invasoras é atualizada no Paraná. 2015. Disponível em < http://www.iap.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=705/ >). Acesso em: 30 março, 2018.

IAPAR - INSTITUTO AGRONÔMICO DO PARANÁ. Cartas climáticas do Paraná. 2017. Disponível em:< http://www.iapar.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=677> >. Acesso em: 28 fev. 2018.

IBGE- INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Ampére. 2017. Disponível em: < https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr/ampere/panorama >. Acesso em:17 março. 2018.

IPARDES – INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. Mapa da Cobertura Vegetal Nativa Original. 2007. Disponível em: < http://www.ipardes.gov.br/pdf/mapas/base_ambiental/09_uso_da_terra_e_remanescentes_da_cobertura_vegetal_2010_2014.jpg > Acesso: 30 março. 2018.

KLEIN, D,R; NAVA, G.R; DERENGOSKI, J.A. Inventário do patrimônio arbóreo do bairro Miniguaçu da cidade de Francisco Beltrão-PR. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

LOBODA, C. R.; DE ANGELIS, B. L. D. Áreas verdes públicas urbanas: conceitos, usos e funções. Ambiência - Revista do Centro de Ciências Agrárias e Ambientais, v. 1 n. 1, p. 125-139, 2005.

LOCKWOOD, J. L., M. F.; HOOPES.; M. P. MARCHETTI. Invasion Ecology. Blackwell Publishing, Massachusetts, 2007.

LORENZI, H; SOUZA, H.M. Plantas Ornamentais no Brasil: arbustivas, herbáceas e trepadeiras. Editora Plantarum: Nova Odessa/SP. 1995. 720p.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil. 4 ed. Nova Odessa: Instituto Plantarum, v. 1, 2002. 384 pp.

LORENZI, H. et al. Árvores exóticas no Brasil: madeireiras, ornamentais e aromáticas. Nova Odessa: Plantarum, 368p. 2003.

LORENZI, H. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de planta arbórea nativas do Brasil. 3. ed. vol. 2. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2009.

LORENZI, H. et al. Árvores e arvoretas exóticas no Brasil:madeireiras, ornamentais e aromáticas. 1 ed. Nova Odessa: Instituto Plantarum de Estudos da Flora, 2018. 464 pp.

MAGALHÃES, L. M. S. Arborização e florestas urbanas - terminologia adotada para a cobertura arbórea das cidades brasileiras. Série técnica Floresta e Ambiente. v. 1, pp. 23-26, Jan.,2006.

MARCULINO, A. et al. Levantamento Quali‐quantitativo da Arborização do Parque Potycabana, Teresina‐PI. In: CONGRESSO NORTE‐NORDESTE DE PESQUISA E INOVAÇÃO, 10., 2010, Maceió. Anais... Maceió: CONNEPI, 2010.

MARTO, G.B.T. et al. Arborização Urbana. 2006. Disponível em: http://www.infobibos.com/Artigos/ArborizacaoUrbana/ArborizacaoUrbana.htm. Acessado em 05 novembro de 2018.

MAZIOLI, B. C. Inventário e diagnóstico da arborização urbana de dois bairros da cidade de Cachoeiro do Itapemirim, ES. 2012. 53 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Ambiental) - Faculdade do Espírito Santo, Jerônimo Monteiro, 2012.

MILANO, M.S. Métodos de amostragem para avaliação de ruas. In: CONGRESSO BRASILEIRO SOBRE ARBORIZAÇÃO URBANA, 2., 1994, São Luiz. Anais... São Luiz: SBAU, 1994. p.163-168.

MILANO, M. S.; DALCIN, E. Arborização de vias públicas. Rio de Janeiro: Light, 2000.

MILLER, R. W. Urban Forestry: planning and managing urban greenspaces. Upper Saddle River, New Jersey, USA: Prentice Hall, 1996.

MMA – MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Espécies Exóticas Invasoras: Situação Brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, Secretaria de Biodiversidade e Florestas, 2006. 23 pp.

MORETTI, J.R. Diagnóstico da Arborização Urbana de Pérola D’ Oeste, Paraná. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Paranaense, Francisco Beltrão. 2018.

MOTTER, N.; MULLER, N.G. Diagnóstico da arborização urbana no município de Tuparendi-RS. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, Piracicaba – SP, v. 7, n. 4, p. 27-36, 2012.

PÉLLICO NETTO, S.; BRENA, D. A. Obtenção da densidade de povoamentos no método de amostragem de Strand. Cerne, v. 2, n. 2, pp. 81-90, 1996.

PEREIRA, P. H. et al. Estudo de caso do risco de queda de árvores urbanas em via pública na cidade de Dois Vizinhos-PR..Synergismus scyentifica, v. 6, n. 1, pp. 1-10, 2011.

PERIOTTO et al. Análise da arborização urbana no município de Medianeira, Paraná. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, Piracicaba, v. 11, n. 2, pp. 59-74, 2016.

PIRES, R. K.; DIAS, M. B.; BRITO, J. O conflito: arborização x energia elétrica, no bairro Vermelha, em Teresina-PI. In: II CONGRESSO DE PESQUISA E INOVAÇÃO DA REDE NORTE NORDESTE DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA. Anais... João Pessoa – PB, 2007. P. 08.

PITELLI, R. A. Plantas Exóticas Invasoras. In: BARBOSA, L. M.; SANTOS JR, N. A. dos (orgs.). A botânica no Brasil: pesquisa, ensino e políticas públicas ambientais. São Paulo: Sociedade Botânica do Brasil, p. 409-412, 2007.

PIVETTA, K. F. L.; SILVA FILHO, D. F. Arborização urbana. Boletim Acadêmico – Série Arborização Urbana. Jaboticabal: UNESP / FCAV / FUNEP, 2002, 69 pp.

PREFEITURA DE ARACRUZ. Manual de recomendações técnicas para projetos de arborização urbana e procedimentos de poda. ARACRUZ: Secretaria de Meio Ambiente, 2013, 34 pp.

RAMOS, S.V. et al. Árvores da Floresta Estacional Semidecidual: Guia De Identificação De Espécies. 1 ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo:Biota/Fapesp, 2008. 320 pp.

SAMPAIO, A. C. F. Análise da arborização de vias públicas das principais zonas do plano piloto de Maringá - PR. 2006. 117 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia. Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2006.

SANTOS, N. R. Z dos; TEIXEIRA, I. F. Arborização de Vias Públicas: Ambiente x Vegetação. Porto Alegre: Pallotti, 2001, 135 pp.

SANTAMOUR JÚNIOR, F. S. Trees for urban planting: diversity uniformity, and common sense. Washington: U.S. National Arboretum, Agriculture Research Service, 2002.

SAUERESSIG, D. et al. Sistema de identificação dendrológica on-line. Ambiência – Revista do Setor de Ciências Agrárias e Ambientais, Guarapuava, Paraná, v. 5 n. 1. jan./abr. 2009.

SÃO PAULO. Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente. Manual técnico de arborização urbana. 2. ed. São Paulo: Nacional, 2005. 45p

SÃO PAULO. Manual técnico de arborização urbana. São Paulo: Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, 2015, 124 pp.

SCHARAMEL, E. et al. Condições da arborização urbana na Cidade de Francisco Beltrão, Paraná.In: 14º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FÓRUM DE PESQUISAS, 2015, Umuarama. Anais... Umuarama: UNIPAR, 2015.

SILVA, L. M. et al. Arborização de vias públicas e a utilização de espécies exóticas: o caso do bairro centro de Pato Branco/PR. Scientia Agraria, Curitiba, v.8, n.1, pp.47-53, 2007.

SILVA, L.M. et al. Arborização dos bairros Pinheiros, Brasília e Bancários em Pato Branco/PR. Scientia Agraria, Curitiba, v.9, n.3, pp.275- 282, 2008.

SILVA FILHO, D. F.; BORTOLETO, S. Uso de indicadores de diversidade na definição de plano de manejo da arborização viária de Águas de São Pedro – SP. Revista Árvore, v. 29, n. 6, pp. 973-982, 2005.

SILVA, J. A. da. Direito urbanístico brasileiro. 2. ed. São Paulo: Malheiros, 1997, 457 pp.

SOARES, J.; PELLIZZARO, L. et. Arborização Urbana: A Importância da escolha das espécies - Estudo de Revisão.In: 3º CONGRESSO INTERNANCIONAL DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO E 17º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FÓRUM DE PESQUISAS, 2018, Umuarama. Anais... Umuarama: UNIPAR, 2018.

SOSMA. Manual técnico de arborização urbana. Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente. São Paulo: Ibraphel, 2015, 118 p. Disponível em: < https://www.sosma.org.br/wp-content/uploads/2015/03/MANUAL-ARBORIZACAO_22-01-15_.pdf >. Acesso em: 18 maio 2017.

TEIXEIRA, I. F. Análise qualitativa da arborização de ruas do conjunto habitacional Tancredo Neves, Santa Maria – RS. Ciência Florestal, v.9, n.2, p.9-21. 1999.

TOSCAN, M. A. G. et al. Inventário e análise da arborização do Bairro Vila Yolanda, do município de Foz do Iguaçu – PR. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, Piracicaba, v. 5, n. 3, pp.165-184, 2010.

VELASCO, G. D. N. Arborização viária X sistemas de distribuição de energia elétrica: avaliação dos custos, estudo das podas e levantamento de problemas fitotécnicos. 2003. 94p. Dissertação (Mestrado) – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Piracicaba, 2003.

VIANI, R.A.G. et al. Caracterização florística e estrutural de remanescentes florestais de Quedas do Iguaçu, Sudoeste do Paraná. Biota Neotropica, v. 11, n. 1, p. 115-127, 2011.

ZALBA, S. M. Introdução às Invasões Biológicas – Conceitos e Definições. In: BRAND, K. et al. América do Sul invadida. A crescente ameaça das espécies exóticas invasoras. Cape Town: Programa Global de Espécies Invasoras – GISP, p. 4-5, 2006.

ZAMPRONI, K. et al. Diagnóstico quali -quantitativo da arborização viária de Bonito, Mato Grosso do Sul. Floresta, Curitiba, PR, v. 48, n. 2, p. 235-244, 2018.

ZILLER, S. R. A estepe gramíneo-lenhosa no segundo planalto do Paraná: diagnóstico ambiental com enfoque à contaminação biológica. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal). Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2000.

WYMAN, D. Parks, malls roadsides: public area plantings. In: Landscape for living - The Yearbook Agriculture, 1972. Washington: USDA, 1972. p. 77-86.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Jeandra Soares, Luciana Pellizzaro

ISSN: 2595-4431

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn