Educação ambiental: Construção histórica e perspectivas para o futuro

Emília Marilda Cassini, Thomas Werner Jeffré

Resumo


Este artigo trata da Educação Ambiental (EA) e toma como ponto de partida a historicidade para análise da inserção do tema transversal “Educação Ambiental” no currículo escolar. A revisão bibliográfica observou alguns documentos de órgãos públicos, e as interferências locais e globais no território concernente ao tema. Através de uma abordagem integradora da Geografia Humana como suporte teórico-metodológico, o que nos permitiu uma reflexão teórica buscando apontar a pretensa realidade onde se insere as questões pertinentes à educação ambiental sua implantação no ensino formal. O resultado aponta para a necessidade de melhorar os programas para implantação e implementação da Educação Ambiental nos contextos educacionais, visando atender a complexidade e o dinamismo dos aspectos correlatos ao meio ambiente, por meio de uma educação integrada e numa abordagem integradora. 


Palavras-chave


Educação Ambiental, interdisciplinaridade, território, Geografia Humana.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


Referências

BAUMAN, ZYGMUNT. Modernidade Líquida. Trad. Jorge Zahar. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, p.192, 2001.

BONAMAISON, Joel. Espace géographique et identité culturelle en Vanuatu (exNouvelles-Hébrides). Journal de la Société des océanistes, p.180-188, 1980.

CAFÉ FILOSÓFICO: Estratégias para a vida - Encontro com Bauman. 2014. Disponível em: . Acesso em 12 ago. 2017.

CARVALHO, I. C. M. Em direção ao mundo da vida: interdisciplinaridade e educação ambiental. Brasília: IPÊ-Instituto de Pesquisas Ecológicas, p.37, 1998.

DIRETRIZES-EDUCACAO-BASICA-2013-PDF/FILE Disponível em: Acesso em 19/10/2017.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 7. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, p.54, 1996.

FREITAS, Inês Aguiar. História natural, história da natureza e história ambiental: três histórias sobre uma grande ideia. Espaço e cultura, UERJ, RJ, n. 35, 2014.

HAESBAERT, ROGÉRIO. O mito da Desterritorialização. Do“fim dos territórios” à Multiterritorialidade. Anais do X Encontro de Geógrafos da América Latina – 20 a 26 de março de 2005 – Universidade de São Paulo.

JACOBI, PEDRO ROBERTO. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental da USP. Cadernos de Pesquisa, n. 118, p.189 a 205, março/ 2003.

JACOBI, PEDRO ROBERTO. Educar na sociedade de risco: o desafio de construir alternativas. Faculdade de Educação da USP e PROCAM-USP. Pesquisa em Educação Ambiental, v.2, n.2, p. 49-65, 2007.

LIMONAD, ESTER. A insustentável natureza da sustentabilidade. Da ambientalização do planejamento às cidades sustentáveis. Cad. Metrop., São Paulo, v. 15, n. 29, pp. 123-142, jan/jun 2013.

MINAS GERAIS (ESTADO). SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL - SEMAD. Disponível em Acesso em 4 de dez. 2016.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO – MEC. Formando Com-vida - Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola: construindo Agenda 21 na escola. 2. ed. rev. e ampl. – Brasília: MEC, Coordenação Geral de Educação Ambiental,2007.Disponívelem:Acesso em 9 de out. 2017.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO; SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Indagações sobre Currículo: Currículo e Avaliação. Disponível em: . Acesso em 11 de out. 2017.

___________. Parâmetros Curriculares Nacionais: Meio ambiente. Disponível em: http://portal.mec.gov.br seb//arquivos/pdf/meioambiente.pdf Acesso em 11 de out. 2017.

____________. Panorama da educação ambiental no ensino fundamental. Brasília: MEC/SEF, 2001.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE; DIRETORIA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL; MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO; COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Programa nacional de educação ambiental - ProNEA. 3. ed. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2005.

MOREIRA, A. F. B.; CANDAU, V. M. Indagações sobre currículo: Currículo, conhecimento e cultura. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria da Educação Básica, p.48, 2007.

PHILIPPI JR., ARLINDO E NETO, ANTÔNIO J. SILVA. Interdisciplinaridade em ciência, tecnologia & inovação. Barueri, SP: Manole, 2011.

Programa-nacional-de-educacao-ambiental Disponível em:< http://mma.gov.br/educacao-ambiental/politica-de-educacao-ambiental/>Acesso em 28/11/2017.

PORTAL EDUCAÇÃO. Conferência Intergovernamental de Tbilisi e a EducaçãoAmbiental1977.Disponívelem: Acesso em 9 de out. 2017.

REIGOTA, MARCOS. O que é educação ambiental. 2. ed. rev. e amp. São Paulo: Brasiliense, 2009.

SANTOS, MILTON. O Lugar e o Cotidiano. In: ____. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, p.308, 1997.

SAVIANI, DEMERVAL. Escola e democracia. Campinas. SP. Autores Associados.1999.Disponívelem: Acesso em: 30 de janeiro de 2018.

SENADO FEDERAL. Educação ambiental. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2015. (Coleção ambiental).

SORRENTINO, MARCOS. TRAJBER , RACHEL. ET AL. Educação ambiental como política pública. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 285-299, maio/ago. 2005.

WORSTER, DONALD. Para fazer história ambiental. Estudos Históricos, Rio de Ja http://origemdapalavra.com.br/site/palavras/programa/neiro, v. 4, n. 8, p. 198-215, 1991.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Emília Marilda Cassini

ISSN: 2595-4431

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn