O desenvolvimento do saneamento básico no Brasil e as consequências para a saúde pública

Fernanda Flores Silva dos Santos, José Daltro Filho, Celestina Tojal Machado, Jailde Fontes Vasconcelos, Flávia Regina Sobral Feitosa

Resumo


Apesar dos investimentos do governo federal no setor de saneamento terem crescido, ainda persiste a dificuldade de acesso aos recursos para os pequenos municípios e para a região Norte e Nordeste, o que acaba interferindo de forma negativa no sistema econômico, com gastos elevados para combater as enfermidades propagadas devido às condições sanitárias inadequadas. Assim, esse estudo tem como objetivo apresentar um panorama do histórico do saneamento básico no Brasil e suas perspectivas no tempo presente. De modo que, torna-se necessário a atuação de políticas públicas que busquem expandir estes serviços, essencialmente para as localidades com situações mais precárias. Essa pesquisa mostra-se relevante a partir do momento em que, através da pesquisa bibliográfica, traz uma reflexão sobre como se desenvolveu o saneamento no Brasil e quais as maiores dificuldades que o país ainda enfrenta para alcançar a universalidade prevista no Plano de Saneamento Básico- PLANSAB.


Palavras-chave


Saneamento Básico; Plano de Aceleração do Desenvolvimento; Saúde Pública

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


ABDIB. Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base. Meta para universalizar saneamento em 20 anos cresce de R$ 13,5 bilhões para R$ 17,0 bilhões por ano, aponta estudo. São Paulo, 2011.

ARAUJO FILHO, V. F. ; REGO, P. A. ; MORAIS, M. P. Condicionantes Político-Institucionais da Política de Saneamento Básico no Contexto Federativo: uma avaliação do desempenho da política nos Governos de FHC e de Lula (1995-2009). In: 36º Encontro Anual da ANPOCS, 2012, Águas de Lindóia. ANAIS do 36º Encontrro Anual da ANPOCS, 2012.

BORJA, P. C. Política pública de saneamento básico: uma análise da recente experiência brasileira. Saúde e Sociedade, v. 23, p. 432-447, 2014.

COSTA, A. M. Avaliação da Política Nacional de Saneamento, Brasil – 1996/2000. Tese de Doutorado. Programa de Doutorado em Saúde Pública. Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz. Recife, 2003.

COSTA, B. S. Universalização do saneamento básico: Utopia ou realidade - A efetivação do capital social na política pública do saneamento básico. Tese de doutorado. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental. UFSC. Florianópolis, 2010.

DALTRO FILHO, José. Saneamento Ambiental: Doença, saúde e saneamento da água.Ed. UFS. São Cristóvão. 2004.

SAIANI, C. C. S. Restrições à expansão dos investimentos em saneamento básico no Brasil: déficit de acesso e desempenho dos prestadores. Dissertação (Mestrado em Economia Aplicada) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2007.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23. Ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SILVEIRA, D. T.; CÓRDOVA, F. P. A pesquisa científica. In: GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. Métodos de Pesquisa. Rio Grande do Sul: Editora da UFRGS, 2009.

SOUSA, A. C. A de. Política de Saneamento no Brasil: atores, instituições e interesses. Tese de Doutorado. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. Rio de Janeiro, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Fernanda Flores Silva dos Santos, José Daltro Filho, Celestina Tojal Machado, Jailde Fontes Vasconcelos, Flávia Regina Sobral Feitosa

ISSN: 2595-4431

 

 Revista sob Licença Creative Commons