Impactos ambientais no litoral norte de Sergipe (Brasil): O caso do munícipio da Barra dos Coqueiros

Flavia Regina Sobral Feitosa, Ariane Siqueira de Oliveira, Gênisson Lima de Almeida, Daniela Barbosa dos Santos, Edilma Nunes de Jesus

Resumo


Os impactos ambientais são resultantes das atividades desenvolvidas pelo homem para atender os seus anseios. Nesse sentido, torna-se importante qualificar e quantifica-los através de diagnósticos e avaliação de impacto, a fim de se pensar ações, estratégias e programas para minimizar os efeitos advindos dessas ações. Esse artigo tem como objetivo analisar os efeitos dos impactos ambientais do litoral norte de Sergipe, mas precisamente no município de Barra dos Coqueiros decorrentes da construção da Ponte “Construtor João Alves” no município de Barra dos Coqueiros/SE. Para a identificação dos impactos ambientais ocorridos foram adotados os seguintes passos metodológicos: levantamento bibliográfico/documental, conversas informais com moradores locais e visita in loco. Observou-se neste estudo dez ações impactantes: Ampliação dos condomínios habitacionais; Aumento do tráfego de turistas; Intensificação das casas de luxo; Inviabilização do transporte marítimo; Desapropriação de comunidades extrativistas; Mortandade de peixes e mariscos; Supressão de fragmentos de manguezais; Assoreamento de corpos hídricos; Aumento da produção de resíduos sólidos; e Indícios de processos erosivos. Assim, o meio antrópico foi o mais afetado, entretanto o impacto de maior gravidade foi a mortandade de peixes e mariscos (meio biótico). Por fim foram propostas algumas medidas mitigatórias com o objetivo minimizar ou eliminar danos causados ao ambiente.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


D.E.R./AMBIENTEC CONSULTORIA. Estudo de Impacto Ambiental: Referente ao projeto de construção da ponte sobre o Rio Sergipe, ligando os municípios de Aracaju ao da Barra dos Coqueiros. Aracaju, Governo do Estado de Sergipe, 2004.

CONAMA. Resolução nº 001, de 23 de janeiro de 1986. Estabelece as definições, as responsabilidades, os critérios básicos e as diretrizes gerais para uso e implantação da Avaliação de Impacto Ambiental como um dos instrumentos da Política Nacional do Meio Ambiente.

IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em:< https://censo2010.ibge.gov.br/ 2010>. Acessado em 28. Março. 2017.

GONÇALVES, D.S; SOUZA, P.A; OLIVEIRA, A.L; Impactos Ambientais diagnosticados após as novas construções no Câmpus da UFT – Gurupi, Tocantins, Revista GeoAmbiente. Jataí –GO, 2016.

LEOPOLD, L. B. A procedure for evaluating environmental impact. Geological Survey Circular, Washington, n. 645, p. 1-16, 1971.

MMA – Ministério do Meio Ambiente do Brasil. Programa Nacional de Capacitação de gestores ambientais: licenciamento ambiental. Brasília, 2013.

MOTA, S. Urbanização e Meio Ambiente, 3 ed. Rio de Janeiro, ABES, 2003.

ROCHA, V. G. Gestão dos resíduos Sólidos da Barra dos Coqueiros. São Cristóvão, 2007. Dissertação. Núcleo de Pós Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente. UFS.

SANTOS, R. F. dos. Planejamento ambiental: Teoria e Prática. São Paulo: Oficina de Textos, 2001, 184p.

SANTOS, S.S.C; SOUZA, R. Dinâmica da Paisagem e Distribuição Fitogeográfica de Espécies Psamófitas em Dunas Costeiras - Barra dos Coqueiros, Sergipe. Revista GeoAmbiente: Revista Eletrônica do curso de Geografia – UFG-REJ, n.14, Jataí –GO, 2010.

SANTOS, L.I da C; GOMES, L.J; GOMES, S.H.M; SANTANA,L.L. Identificação das ações impactantes na Área de Proteção Ambiental Morro do Urubu, Aracaju – SE. Revista Scientia Plena, v.9, n.10. São Cristóvão-SE, 2013.

SANTOS, M. A. N. A Ponte sobre o Rio Sergipe: Metamormoses Paisagisticas, Territoriaise Sociogeográficas no município de Barra dos Coqueiros, Sergipe Brasil. Anais do VI Congresso Iberoamericano de Estudios Territoriales Y Ambientales. São Paulo- SP, 2014.

SERGIPE. Secretaria de Estado do Planejamento e da Ciência e Tecnologia-Seplantec. Superintendência de Estudos e Pesquisas-SUPES. Perfis Municipais: Aracaju, 1997. 75v.

SILVA, E. V.; SOUZA, M. M. de A. Principais formas de uso e ocupação dos manguezais do Estado do Ceará. Revista Cadernos de Cultura e Ciência, v. 1, p. 12-20, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Flavia Regina Sobral Feitosa, Ariane Siqueira de Oliveira, Gênisson Lima de Almeida, Daniela Barbosa dos Santos, Edilma Nunes de Jesus

ISSN: 2595-4431

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn