Avaliação da germinação de diásporos de Myracrodruon urundeuva Allemão (Anacardiaceae) submetidos a diferentes métodos de armazenamento

Viviane Bezerra da Silva, José Weverton Almeida Bezerra, Bruno Melo de Alcântara, Maria Arlene Pessoa da Silva

Resumo


O objetivo com esta pesquisa foi avaliar a germinação e viabilidade dos diásporos de Myracrodruon urundeuva Allemão mantidas em geladeira, sob diferentes períodos e recipientes de armazenamento. O experimento foi instalado em delineamento inteiramente casualizado, com tratamentos sob arranjo fatorial 4 x 5, correspondendo, respectivamente aos quatro recipientes de armazenamento em geladeira (saco de papel, saco plástico, pote de vidro e garrafa plástica) e aos cinco períodos de acondicionamento (0, 90, 180, 270 e 360 dias), o qual inclui também as sementes recém-colhidas. Para cada período e recipiente de armazenamento, foram avaliadas as seguintes variáveis: teor de umidade, germinabilidade, índice de velocidade de germinação (IVG) e a sincronia da germinação das sementes. Os testes de germinação foram conduzidos em placas de Petri em câmara de germinação do tipo B.O.D., em quadruplicatas de 50 sementes cada, e avaliados durante 10 dias, para cada período de armazenamento. Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância sendo as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5 % de probabilidade. Os resultados evidenciaram que o teor de umidade das sementes não apresentou variação em nenhum dos tratamentos analisados. Observou-se que a porcentagem de germinação dos diásporos de M. urundeuva se manteve acima de 80% em todos os tempos e recipientes de armazenamento, sofrendo uma redução a partir dos 270 dias, em sementes armazenadas em saco plástico, pote de vidro e garrafa plástica. Verificou-se que, em todos os recipientes utilizados para acondicionamento, o IVG e a sincronia da germinação foram afetados em todos os tempos de armazenamento, quando comparado as sementes recém-colhidas. A melhor condição para conservação de sementes de M. urundeuva se deu com o acondicionamento em sacos de papel, por 360 dias, sem a perda da viabilidade.

 


Texto completo:

PDF (Português)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Viviane Bezerra da Silva

Revista Brasileira de Meio Ambiente | ISSN: 2595-4431

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn