O agroextrativismo no Cerrado a partir da perspectiva analítica da cienciometria entre 2015 e 2020

Rodrigo Marciel Soares Dutra, Joanne Ester Ribeiro Freitas, Rosilene Martins de Almeida, Rodrigo Emídio Silva, Zenaira da Silva Santos

Resumo


DOI

O agroextrativismo articula atividades extrativas com técnicas de cultivo, criação e beneficiamento. É orientado para diversificação, consórcio de espécies, imitação da estrutura e dos padrões do ambiente natural e uso de técnicas geralmente desenvolvidas a partir dos saberes e das práticas tradicionais, do conhecimento dos ecossistemas e das condições ecológicas regionais. É um importante instrumento para a utilização sustentável dos biomas. O Cerrado é considerado a savana de maior biodiversidade do planeta, portanto é campo profícuo ao desenvolvimento do agroextrativismo. Nesse sentido, este trabalho tem como objetivo levantar e analisar as produções científicas que abordam esta temática para o bioma Cerrado, utilizando para isto a metodologia da cienciometria. A base de dados escolhida para levantar a produção científica sobre o agroextrativismo no Cerrado, nos últimos seis anos, foi a Scopus Elsevier. Realizou-se busca avançada, considerando somente os artigos revisados por pares, os quais foram analisados, levando-se em consideração critérios como o ano de publicação, o país do primeiro autor, os impactos socioeconômicos e envolvimento com as comunidades locais, entre outros. Entre os resultados encontrados pode-se destacar a prevalência de pesquisadores brasileiros, principalmente, da Região Nordeste do país, a importância dos produtos e serviços ambientais para subsistência e geração de renda, o papel da prática do agroextrativismo na conservação ambiental, etc. O estudo realizado teve como ponto de partida trabalho publicado, anteriormente, e que produziu uma análise cienciométrica a partir da mesma base de dados até o ano de 2014, buscando, de certa forma, promover uma atualização.


Palavras-chave


Sustentabilidade, Brasil, Cerrado, Bibliometria.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


BRASIL. Lei nº 10.831, de 23 de dezembro de 2003, que dispõe sobre a agricultura orgânica, e dá outras providências. Diário Oficial da União, 24 de dez. Disponível em: . Acessado em: julho/2021. 2003.

BRASIL. Decreto nº 6.323, de 27 de dezembro de 2007, que regulamenta a Lei nº 10.831, de 23 de dezembro de 2003, que dispõe sobre a agricultura orgânica, e dá outras providências. Diário Oficial da União, 28 de dez. Disponível em Acessado em julho/2021. 2007.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Ministério do Meio Ambiente. Instrução Normativa Conjunta nº 17, de 28 de maio de 2009. Disponível em Acessado em julho/2021. 2009.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente (2021). Bioma Cerrado. Brasília, Julho. Disponível em: . Acesso em: 12/07/2021.

Campos, L., Nascimento, A.; Albuquerque, U. & Araújo, E. (2016). Criteria for Native Food Plant Collection in Northeastern Brazil. Human Ecology, 44(6), 775–782. https://doi.org/10.1007/s10745-016-9863-4

Dutra, R. & Souza, M. (2018). Agroextrativismo e geopolítica da natureza: alternativa para o Cerrado na perspectiva analítica da cienciometria. Ateliê Geográfico, 11(3), 110–133. https://doi.org/10.5216/ag.v11i3.43644

Dutra, R. & Souza, M. (2019). Cerrado Goiano: Agrotóxicos e Agroextrativismo. (1a ed.). Goiânia: Editora IFG. Disponível em Acesso em 12 jul. 2021.

Feitosa, I., Sobral, A.; Monteiro, J., Araújo, E. & Albuquerque, U. (2017). Impact of collection on bark regeneration from Stryphnodendron rotundifolium Mart. in northeastern Brazil. Environmental Monitoring and Assessment 189(5), 234. https://doi.org/10.1007/s10661-017-5908-4

Feitosa, I., Monteiro, J., Araújo, E., Lopes, P. & Albuquerque, U. (2018). Optimal Foraging Theory and Medicinal Bark Extraction in Northeastern Brazil. Human Ecology, 46(1), 917–922. https://doi.org/10.1007/s10745-018-0037-4

Fernandes, M., Morais, M., Mesquita-Oliveira, F., Ulisses, C., Medeiros, J. & Albuquerque, C. (2019). Arbuscular mycorrhizal fungi and auxin associated with microelements in the development of cuttings of Varronia leucocephala. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 23(3), 167-174. https://doi.org/10.1590/1807-1929/agriambi.v23n3p167-174

Firmo, W., Menezes, V., Passos, C., Dias, C., Alves, L., Dias, I., Neto, S. & Olea, R. (2011). Contexto histórico, uso popular e concepção científica sobre plantas medicinais. Cadernos de Pesquisa, 18(n. especial), 90-95.

Guimarães, R., Souza, E., Naves, R., Melo, A. & Neto, A. (2019). Vegetative propagation of pequi (souari nut) by cutting. Ciência Rural, Biology, 49(2), 01-06. https://doi.org/10.1590/0103-8478cr20180579

Jorge, R. & Anegón, F. (2008). La evaluación de la investigación científica: una aproximación teórica desde la cienciometría. Acimed, 17(4), 01-27.

Lima, C., Campos, M. & Silva, F. (2015). Mycorrhizal Fungi (AMF) increase the content of biomolecules in leaves of Inga vera Willd. seedlings. Symbiosis 65(3), 117–123. https://doi.org/10.1007/s13199-015-0325-3

Mandujano, R. & Alves, V. (2018). Disputas territoriales en la sabana tropical brasileña (cerrado): los campesinos agroextractivistas y el agronegocio en Maranhão y Tocantins. Boletín de la Asociación de Geógrafos Españoles, 76(1), 391-413. https://doi.org/10.21138/bage.2527

Mazzetto Silva, C. (2006). Os Cerrados e a sustentabilidade: territorialidades em tensão. Tese de Doutorado, Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brasil.

Melo, E., Michels, F., Arakaki, D., Lima, N., Gonçalves, D., Cavalheiro, L., Oliveira, L., Caires, A., Hiane, P. & Nascimento, V. (2019). First Study on the Oxidative Stability and Elemental Analysis of Babassu (Attalea speciosa) Edible Oil Produced in Brazil Using a Domestic Extraction Machine. Molecules, 24(22), 4235. https://doi.org/10.3390/molecules24234235

Mittermeier, R., Myers, N., Mittermeier, C. & Robles Gil, P. (1999). Hotspots: Earth’s biologically richest and most endangered terrestrial ecoregions. (1a ed.). Mexico City: Sierra Madre.

Moro, M., Castro, A. & Araújo, F. (2011). Composição florística e estrutura de um fragmento de vegetação savânica sobre os tabuleiros pré-litorâneos na zona urbana de Fortaleza, Ceará. Rodriguésia, 62(2), 407–423.

Myers, N., Mittermeier, R., Mittermeier, C., Fonseca, G. & Kent, J. (2000). Biodiversity hotspots for conservation priorities. Nature, 403(6772), 853-858.

Prudente, D., Paiva, R., Nery, F., Máximo, W. & Silva, L. (2017). Behavior of lateral buds of Hancornia speciosa after cryopreservation by encapsulation-vitrification. Acta Scientiarum, Biological Sciences, 39(1), 87-93. https://doi.org/10.4025/actascibiolsci.v39i1.31620

Oliveira, D., Woberto, C., Zanuzo, M. & Severgnini, C. (2013). Composição mineral e teor de ácido ascórbico nas folhas de quatro espécies olerícolas não-convencionais. Horticultura Brasileira, 31(3), 472-475.

WHO – World Health Organization. Programme on Traditional Medicine. (‎2000)‎. Situación reglamentaria de los medicamentos herbarios: una reseña mundial. (Resenha). Organización Mundial de la Salud.

Peixoto, J., Neves, B., Vasconcelos, F., Napolitano, H., Barbalho, M., Silva, S. & Rosseto, L. (2019). Flavonoids from Brazilian Cerrado: Biosynthesis, Chemical and Biological Profile. Molecules, 24(16), 2891. https://doi.org/10.3390/molecules24162891

Pinto, L., Morais, L., Guimarães, A., Almada, E., Barbosa, P. & Drumond, M. (2016). Traditional knowledge and uses of the Caryocar brasiliense Cambess. (Pequi) by “quilombolas” of Minas Gerais, Brazil: subsidies for sustainable management. Brazilian Journal of Biology, 76(2), 511-519. https://doi.org/10.1590/1519-6984.22914

Ribeiro, D., Macedo, D., Oliveira, L., Santos, M., Almeida, B., Macedo, J., Macedo, M., Souza, R., Araújo, T. & Souza, M. (2019). Conservation priorities for medicinal woody species in a cerrado area in the Chapada do Araripe, northeastern Brazil. Environment Development and Sustainability, 21(1), 61-77. https://doi.org/10.1007/s10668-017-0023-9

Ribeiro, J., Frazão, L., Cardoso, P., Oliveira, A., Sampaio, R. & Fernandes, L. (2019). Fertilidade do solo e estoques de carbono e nitrogênio sob sistemas agroflorestais no Cerrado Mineiro. Nota Técnica. Ciência Florestal 29(2), 913-923. https://doi.org/10.5902/1980509825310

Santos, G., Schiel, N., Araújo, E. & Albuquerque, U. (2016). Remoción y distancia de dispersión de las diásporas de Caryocar coriaceum (Caryocaraceae) en el margen e interior de un área de Cerrado, Nordeste de Brasil. Revista de Biologia Tropical, 64(3), 1117-1127.

Silva, J., Silva, L., Albuquerque, U. & Castro, C. (2018). Bark and latex harvesting short-term impact on native tree species reproduction. Environmental Monitoring Assessment, 190(12), 744. https://doi.org/10.1007/s10661-018-7081-9

Silva, J., Tabarelli, M. & Fonseca, M. (2004). As áreas e ações prioritárias para a conservação da biodiversidade da caatinga. In Silva, J., Tabarelli, M., Fonseca, M. & Lins, L. (orgs.). Biodiversidade da Caatinga: áreas e ações prioritárias para a conservação (pp. 349–374). Brasília: Ministério do Meio Ambiente / Universidade Federal de Pernambuco / Conservation International / Fundação Biodiversitas / EMBRAPA Semiárido.

Silva, N., Hanazaki N., Albuquerque, U., Campos, J., Feitosa, I. & Araújo, E. (2019). Local Knowledge and Conservation Priorities of Medicinal Plants near a Protected Area in Brazil. Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine, 2019(1), 01-18. https://doi.org/10.1155/2019/8275084

Silva, R., Garavello, M., Nardoto, G., Mazzi, E. & Martinelli, L. (2019). Urban access and government subsidies impact livelihood and food transition in slave-remnant communities in the Brazilian Cerrado. Agronomy for Sustainable Development, 39(24), 01-12. https://doi.org/10.1007/s13593-019-0568-0

Silva, R., Gomes, L. & Albuquerque, U. (2015). Plant extractivism in light of game theory: a case study in northeastern Brazil. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine, 11(6), 02-07. https://doi.org/10.1186/1746-4269-11-6

Silva, R., Gomes, L. & Albuquerque, U. (2017). What are the socioeconomic implications of the value chain of biodiversity products? A case study in Northeastern Brazil. Environmental Monitoring Assessment, 189(64), 01-12. https://doi.org/10.1007/s10661-017-5772-2

Moreira, T., Fernandes, G. & Pietro, R. (2018). Stryphnodendron Species Known as “Barbatimão”: A Comprehensive Report. Molecules, 23(4), 910. https://doi.org/10.3390/molecules23040910

Thomaz Jr., A. (2008). Por uma cruzada contra fome e o agrohidronegócio – nova agenda destrutiva do capitalismo e os desafios de um tempo não adiado. Revista Pegada, 9(1), 08-34.

Tuller, J., Marquis, R., Andrade, S., Monteiro, A. & Faria, L. (2018). Trade-offs between growth, reproduction and defense in response to resource availability manipulations. PLoS ONE 13(8), 02-12. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0201873

Veiga Jr., V. & Pinto, A (2005). Plantas medicinais: cura segura? Química Nova, 28(3), 519-528.

Zank, S. & Hanazaki, N. (2017). The coexistence of traditional medicine and biomedicine: A study with local health experts in two Brazilian regions. PLoS ONE, 12(4), 01-17. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0174731


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Rodrigo Marciel Soares Dutra

Revista Brasileira de Meio Ambiente | ISSN: 2595-4431

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn